Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Foto: Fernanda Tacca Angonese/Emater/RS
Cidade
Seminário de Ovinocultura debate potencialidade para atividade
Seminário sediado em Barão de Cotegipe nesta quinta-feira (05/05), reuniu cerca de 90 pessoas na comunidade Linha Duas Santos Anjos.
Terezinha Vilk/Emater/RS
por  Terezinha Vilk/Emater/RS
06/05/2022 11:51 – atualizado há 24 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

A ovinocultura foi tema do seminário que reuniu cerca de 90 pessoas, entre produtores, extensionistas da Emater/RS-Ascar, acadêmicos dos cursos de Veterinária e Agronomia, sediado em Barão de Cotegipe nesta quinta-feira (05/05), na comunidade Linha Duas Santos Anjos.

“O consumo de carne ovina no Brasil é baixo, cerca de 700 gramas por habitante ao ano. Há uma excelente oportunidade de mercado para a atividade”, garantiu o médico veterinário Wilson Radaelli, durante sua palestra no evento. O palestrante abordou os objetivos de cada produtor na atividade, enfatizando a necessidade de planejamento constante. “O mundo é dinâmico e as condições mudam, é preciso direcionar o tipo de produção e definir qual mercado se quer conquistar, escoamento e escala de produção para uma atividade rentável e sustentável”, aconselhou.

Outro ponto destacado por Radaelli é a importância de o produtor anotar as informações (escrituração zootécnica) referentes à atividade, desde os dados econômicos, manejo sanitário, nutrição e reprodução para ter subsídios na tomada de decisão. “Isso contribui inclusive para o descarte orientado dos animais que possuem defeitos genéticos, baixo índice de fertilidade, defeitos físicos, entre outros fatores”, explicou.

Após a palestra, o produtor Vilamor Artuzi fez um relato da experiência de sua criação de ovinos. Ele possui 200 matrizes, a maioria do plantel da raça texel, criada no sistema de manejo a pasto, com sistema de integração lavoura-pecuária, consorciadas com noz-pecã. Artuzi, que tem anos de experiência na atividade, relatou as técnicas de manejo empregadas e os desafios enfrentados. Entre os gargalos relata a falta de um abatedouro de ovinos legalizado na região do Alto Uruguai como um entrave para a ampliação da produção.

A programação prosseguiu após almoço com a participação da agência da Sicredi de Barão de Cotegipe, patrocinadora do evento, que tratou do apoio financeiro às atividades agropecuárias e os benefícios do cooperativismo de crédito para os associados, colocando a agência à disposição de todos.

O evento encerrou com visitação à propriedade do produtor Agenor Bertoni, uma área de 24,5 hectares em que atua com as atividades produtivas da soja, milho e ovinocultura. Para ovinocultura são destinados dois hectares, com piqueteamento e pastagem perene onde utiliza sobressemeadura com aveia e avezem no inverno. No local, os visitantes conheceram o sistema produtivo e as instalações utilizadas para a criação das ovelhas. Bertoni trabalha há 20 anos com ovinocultura e possui um plantel de 70 matrizes da raça texel.

Foto: Fernanda Tacca Angonese/Emater/RS

Abertura 

O público recebeu as boas-vindas do extensionista rural do Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar de Barão de Cotegipe, Jonas Farina. Na sequência, aconteceu a abertura do evento com pronunciamento das autoridades. Participaram o prefeito Vladimir Farina, a vice-prefeita Eliane Folador e o gerente do Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Erechim, Gilberto Tonello.

Foto: Fernanda Tacca Angonese/Emater/RS

O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar, vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), com apoio da Prefeitura de Barão de Cotegipe e Sindicato dos Trabalhadores Rurais e patrocínio da Sicredi.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE