Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
José Cruz/Agencia Brasil
Economia
Segunda fase de consultas ao dinheiro “esquecido” nos bancos segue sem data para começar
O retorno das consultas ao chamado "dinheiro esquecido", que estava previsto para começar no dia 2 de maio, foi adiado por conta da greve de servidores do BC
O Sul
por  O Sul
13/06/2022 11:48 – atualizado há 1 minuto
Continua depois da publicidadePublicidade

Marcada para começar no dia 2 de maio, a nova fase de consultas do “dinheiro esquecido” nos bancos – o SVR (Sistema de Valores a Receber) – ainda segue sem previsão para início, de acordo com o BC (Banco Central). A retomada do sistema foi adiada por conta da greve de servidores do BC, que atrasou a implementação da ferramenta.

“A greve dos servidores do BC prejudicou o cronograma de desenvolvimento das melhorias do Sistema de Valores a Receber. O prazo de retorno do SVR, inicialmente previsto para 2 de maio, será adiado. A nova data será comunicada com a devida antecedência”, informou o BC.

O BC estima que há cerca de R$ 8 bilhões em valores esquecidos, mas na primeira fase do serviço ficaram disponíveis cerca de R$ 4 bilhões para devolução.

Os valores a receber podem ser de recursos remanescentes de: contas-correntes ou de poupança encerradas, com saldo disponível; tarifas e parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que a devolução esteja prevista em Termo de Compromisso assinado pelo banco com o BC; cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários e participantes de cooperativas de crédito; recursos não procurados relativos a grupos de consórcio encerrados.

Primeira fase

No dia 16 de abril, o BC encerrou a última “repescagem” para os saques da primeira fase dos recursos esquecidos por brasileiros nos bancos. A repescagem é dos valores da primeira fase do programa. Mais valores serão liberados na segunda fase.

Até 24 de março, 2,85 milhões pessoas físicas e jurídicas solicitaram resgate de seus valores a receber, totalizando R$ 245,8 milhões. Entre as pessoas físicas que pediram a devolução, 2.516.990 solicitaram transferência via Pix, totalizando R$ 205.099.139,18, enquanto 328.947 preferiram receber os dados de contato das instituições financeiras, somando R$ 34.370.940,12.

Entre as pessoas jurídicas, 5.113 solicitaram a devolução dos valores via Pix (R$ 5.012.975,84) e 1.059 receberam dados de contato (R$ 1.326.419,82). Se você perdeu a sua data de agendamento, o Banco Central informa que não há motivo para se preocupar. Não há risco de perder seus valores a receber, pois eles continuarão guardados pelas instituições financeiras, esperando que você solicite a devolução, quando as consultas ao SVR forem retomadas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE