Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Cidade

Memorial em homenagem às vítimas do acidente da Barragem da Corsan é tema de reunião no Legislativo

Acidente envolvendo um ônibus que transportava estudantes e que caiu no lago da barragem da Corsan aconteceu no dia 22 de setembro de 2004, quando 17 vidas foram perdidas.

Giulianno Olivar/Assessoria Câmara de Vereadores Erechim
por  Giulianno Olivar/Assessoria Câmara de Vereadores Erechim
06/06/2023 22:30 – atualizado há 59 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

Na última segunda-feira (05), o presidente do Poder Legislativo, Serginho Bento (PT) e o vereador Claudemir de Araújo (PTB) se reuniram com representantes da Secretaria Municipal de Cultura, Aline Angela Balestrin e arquiteta Ariane Pedrotti de Ávila Dias, além do artista plástico Harryson Testa, para tratar sobre a construção do memorial em homenagem às vítimas do acidente da Barragem da Corsan, ocorrido em 2004 no município de Erechim. Durante o encontro foram abordadas questões técnicas sobre o projeto, bem como o local onde será edificado o memorial, cuja proposição foi de Araújo.

A tragédia

O dia 22 de setembro de 2004 jamais será apagado da memória dos erechinenses. A data marca a maior tragédia da história de nosso município, onde 17 vidas foram interrompidas em um trágico acidente envolvendo um ônibus que transportava estudantes e que caiu no lago da barragem da Corsan.

Perderam a vida neste fatídico acidente: Márcio Miguel Dubil, Adriana Andréia dos Santos, Lucas Vezaro, Patrícia Maria Gevinski, Tânia Fátima Dambrós, Fernanda Paula Bortoli, Cristian Diego Modzinski, Daniela Paula Femelinski, Rubens Gelinski, Tiago Franceski, Gledis Sobis, os irmãos Júlio Antônio Pertile e Tatiana Fátima Pertile, Tainara Pereira dos Santos, Léia Terezinha R. Trindade e as primas Bruna Sandra Guareski e Elisângela Guareski.

O Memorial

A construção de um memorial em honra àqueles que perderam suas vidas será o registro edificado da trajetória das vítimas, bem como de seus familiares e amigos, que ficaram, não apenas com a dor da saudade e as lembranças, mas também com o desejo de honrar e homenagear cada uma dessas pessoas. Além disso, de acordo com Araújo, o memorial será um espaço de reflexão e contemplação.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE