GENTE

  • 27/01/2017 (19:42:58)

  • Repórter: Assessoria/ACCIE

  • Fotógrafo: Divulgação

Romeo Madalozzo foi o idealizador da I Frinape:

Morre o pioneiro erechinense Romeo Madalozzo

O pioneiro morava em São Paulo, onde faleceu


Morreu no início da tarde desta sexta-feira, 27 de janeiro, em São Paulo, o idealizador da I Frinape, realizada em 1966, em Erechim, Romeo Madalozzo. O evento foi criado com o objetivo de potencializar a economia e contou com abrangência regional. Romeo Madalozzo comandou a então Associação Comercial de Erechim de 1963 a 1967. O presidente da ACCIE, Claudionor Mores, lamentou a perda do empresário Romeu Madalozzo, um homem de grande importância nos setores onde atuou e que contribuiu de modo incisivo nos destinos da Associação Comercial e para o desenvolvimento do município. Segundo Claudionor, Romeo Madalozzo sempre teve o dom de aglutinar pessoas, dos mais diversos interesses, aproveitando o que cada um tem de melhor.

ATUAÇÃO DE ROMEO MADALOZZO NA ACCIE

Romeo fazia parte de um grupo de jovens empresários descontente com os rumos da Associações naquela época e queriam fazer uma reviravolta. Em uma reunião com os associados, o então presidente lançou o desafio para que assumissem e desenvolvessem as ideias apresentadas. Após 10 dias de analise decidiram assumir a entidade, porem com algumas condições, que logo foram aceitas, entre elas, alteração dos estatutos sociais, incluindo a participação da classe industrial, passando então a chamar-se “Associação Comercial e Industrial de Erechim” e eleição de nova diretoria por eles indicada.

Naquela época, a ACCIE chegou a ganhar um terreno da Prefeitura para construção de sua sede, porem como não havia sido aprovada a doação pela Câmara de Vereadores, teve que ser devolvida.

Em agosto de 1963, foi formada uma comissão de 8 representantes (cada um arcando com suas despesas), e viajaram ao Rio de Janeiro, com a finalidade de conseguir do Banco do Brasil, uma faixa de crédito especial para as empresas poderem operar melhor. Aproveitaram a viagem para reivindicar com o Ministro dos Transportes e o DNER a abertura da BR-153, ligando Erechim a Porto União, com a ponte no rio Uruguai. Informaram que só tinham verba para a ponte, então pediram e de fato fizeram, primeiro a ponte no Rio Uruguai, e só mais tarde é que a rodovia foi aberta.

Em nome da ACIE dera todo o apoio e colaboração para as campanhas das diversas entidades de Erechim. Destacam-se a reconstrução do Colégio São José, destruído por um incêndio, a construção da nova sede do Lar dos Velhinhos Jacinto Godoy, a Comissão pró-Faculdade de Erechim; a Comissão Pró-Diocese, a fundação do CDL – Clube dos Diretores Lojistas e do SPC – Serviço de Proteção ao Credito de Erechim; os Sindicatos Patronais e de empregados, e outros.

Numa das reuniões de trabalho da ACIE foi levantada a ideia de fazer de Erechim um centro geoeconômico, congregando todos os municípios do Alto Uruguai, principalmente os que formaram no início o grande município de Boa Vista do Erechim, procurando realizara eventos, exposições, conclaves, congressos, etc. Daí nasceu a ideia principal de se construir um centro para periodicamente apresentar, não só à região, mas principalmente para todo o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, o que se fazia, o que tinha e o que produzia a região, e também, que outros viessem mostrar o que de mais moderno se podia ter para melhorar nossa produção e trazer ideias criativas para encontrarmos novos negócios e frentes de trabalho
.
A ideia tomou corpo e aprovação de todas as forças econômicas do município, e através de um concurso popular, foram escolhidos o nome e o escudo que logo foi oficializado, como Frinape – Feria Regional, Industrial, Agropecuária de Erechim.

No fim de 1963 o radialista Milton Doninelli falou da ideia de se instalar uma estação retransmissora de televisão em Erechim, visando dar uma moderna recreação a população. Na época, cogitava-se a instalação de uma torre de retransmissão, o que, segundo Doninelli, pouco resolveria e iria custar mais que se instalar uma estação própria. O associado Dr. Ruhter V.Muhlen, um entusiasta da TV, aceitou liderar o movimento, naturalmente com a colaboração e participação de toda a equipe da ACIE. O nome da nova empresa passou a ser Televisão Erechim Ltda. Foi lançada a subscrição de quotas capital, com facilidade de pagamento, tanto para a compra do equipamento, como também para a compra do terreno e construção do prédio, que foi instalado no alto do bairro Ipiranga.

Em abril de 1965 o então presidente do Brasil, Mal. Humberto de Castelo Branco, concedeu a licença para Erechim ter seu canal e sua estação de TV. A festa de inauguração foi comovente e significativa. Inicialmente os programas eram locais, de entrevistas, reportagens e filmes de cinema ou documentários, com o decorrer do tempo, e dentro da necessidade de manter um programa diário com mais atrações, foi resolvido associar os quotistas a Televisão Erechim Ltda., a TV – Gaúcha, Piratini de Porto Alegre, que já tinha outras oito estações coligadas no interior do Estado.

A PRIMEIRA “FRINAPE”

Realizada de 22 de outubro a 6 de novembro de 1966.

Os trabalhos de terraplanagem no térreo adquirido pela ACCIE para o parque de exposição foram difíceis e conturbados, até para fazer um acesso firme da rodovia, tiveram que consolidar a estrada e o pátio do parque, colocando saibro, elaborado o projeto para a 1ª Frinape, e a pedido dos ervateiros da região, foi incluída também, a primeira Festa Nacional do Mate - Fenamate. Eles construíram um pavilhão especial e plantaram ao redor uma grande quantidade de erveiras, e apresentaram uma miniatura da indústria.

A construção dos pavilhões foi distribuída entre as empresas construtoras que aceitaram colaborar, assim o pavilhão industrial, ficou a cargo da Construtora Ruther V. Muhlen: o pavilhão dos suínos, foi entregue a Construtora Gaúcha e o pavilhão do gado leiteiro e outros animais, a Construtora do Engenheiro N. Pagnoncelli; o pórtico de entrada e outras obras, a cargo do Eng°. Mafessoni, tudo sob a supervisão da comissão de obras, que era coordenada por Ermínio Mascherim. Parte dos materiais foi doados e muitos foram comprados.

Para abrilhantar a festa e envolver todos os municípios da região, foi constituído o concurso da Rainha da Frinape, com uma comissão encarregada, com o patrocínio do Rotary Club, para, em caravana de casais visitar os Prefeitos, associações esportivas e outras, convidando a sua comunidade para participar da 1ª Frinape, com a indicação de uma moça da localidade, para concorrer ao título de rainha

No dia 22/10/1966, com um grande desfile das autoridades, rainha e princesas, convidados e o povo em geral, desfilaram pela avenida de Erechim e se dirigiram ao parque da Frinape. O Governador Hildo Menegueti, no portão de entrada, desatou a fita e declarou inaugurada a 1ª Frinape, ao som da banda municipal de Erechim, percorreram as exposições no pátio e os diversos pavilhões acompanhados da rainha, princesas, autoridades e comissão diretora do evento.

O objetivo do evento foi mostrar a união de esforços coordenados para a valorização, progresso e bem-estar social da região do Alto Uruguai, o desenvolvimento econômico, social e cultural, bem como demonstração das realizações da indústria, comercio, agricultura, pecuária e ervateira da região. O evento congregou todas as comunidades do Alto Uruguai. Os resultados econômicos da feira não deram para cobrir as despesas do investimento. Foram feitas muitas dividas e algumas avalizadas pelos dirigentes da ACIE, o que prejudicou, também a II Frinape.