PET

  • 14/02/2017 (19:03:01)

  • Repórter: Diário Catarinense

  • Fotógrafo: Arquivo pessoal

Dois anos depois

Cão que desapareceu durante tornado volta para casa


Encontrar um vira-latas perdido em meio a tantos animais abandonados e, ainda por cima, após um tornado que destruiu várias casas e ruas de um mesmo bairro, não é uma tarefa fácil. Agora, imagine reencontrar um cachorrinho que sumiu na mesma situação e apareceu, quase dois anos depois, em frente ao portão de casa? É o que aconteceu com o mascote da família de Denise Weber de Oliveira, de Xanxerê, no Oeste catarinense.

— É uma sensação que não conseguimos explicar — conta Denise, filha de Noélia e Ariovaldo de Oliveira, donos do cãozinho Sherlock, de 17 anos.

Denise conta que a mãe estava em casa quando ouviu latidos dos cachorros da vizinhança. Como o barulho era muito, foi na rua ver o que estava acontecendo. Quando abriu a porta, a surpresa: Sherlock sentadinho em frente ao portão.

— 'Sherlock, é você?', a mãe falou. E ele abanou o rabinho como se estivesse respondendo para ela — descreve Denise.

Noélia tem 59 anos e mora com o marido, de 60 anos, no Bairro dos Esportes. O casal teve a casa completamente destruída pelo tornado que passou em Xanxerê no dia 20 de abril de 2015. O furacão também arremessou a casinha do cachorro para longe. Sherlock ficou pendurado pela corrente, entre os galhos de uma árvore, e um vizinho o salvou.

— O vento destruiu tudo. Meus pais se abrigaram na minha casa, que não havia sido atingida. Sherlock ficou solto no pátio.No outro dia, quando a família voltou ao local para calcular o estrago, percebeu que o cão estava quietinho, de cabeça baixa, fora do normal.

— Sherlock parecia estranho, mas pensamos que ele ainda estivesse assustado com o que tinha acontecido. Logo depois, ele levantou e saiu caminhando normalmente — relembra.

O cachorrinho era acostumado a dar suas voltinhas na rua, mas logo voltava. Naquele dia, Sherlock saiu e não voltou mais. A família se desesperou. Fizeram cartazes e distribuíram pelo bairro. Contataram ONGs de proteção animal, divulgaram sua foto nas redes sociais, mas nada de encontrar o cãozinho. Eram muitos cachorros perdidos naquela semana por conta do tornado.

— Já é difícil encontrar um cão de raça, imagine, um vira-latas. Sempre que alguém dizia que tinha visto um animal parecido a gente ia até o local para ver se era o Sherlock, mas nunca era. A gente criava uma expectativa e saía sempre decepcionado — conta.