PET

  • 09/03/2017 (00:42:34)

  • Repórter: Gazeta do Povo

  • Fotógrafo: Corpo de Bombeiros de SC

Cachorro de SC é o primeiro “guarda-vidas animal” do Brasil reconhecido pelo livro dos recordes

Ice, segundo o RankBrasil, é o primeiro cachorro do país a ser treinado para a atividade no país


Um cão de Itajaí, em Santa Catarina, foi reconhecido pelo RankBrasil – o livro dos recordes brasileiro – como o primeiro cão guarda-vidas do país. Chamado de Ice, o animal auxilia o Corpo de Bombeiros no resgate de vítimas de afogamento na praia de Cabeçudas. Ele é o primeiro cachorro treinado para esse tipo de atividade no Brasil.

Segundo informações do RankBrasil, Ice tem sete anos de idade e começou a receber instruções para ser guarda-vidas quando tinha dois meses. Ele está atuando na função desde janeiro de 2016. Numa situação em que três pessoas são arrastadas pelo mar e há apenas dois guarda-vidas, o cão entra como um reforço. O animal leva uma boia para a terceira pessoa, mantendo-a em segurança e a rebocando para a faixa de areia ou preservando a vida da vítima até a chegada de um guarda-vidas humano.

O cachorro trabalha das 15h às 20 horas, em uma escala de um dia de trabalho por dois dias de descanso. Durante todo o turno, Ice tem à disposição água e, a cada 45 minutos, é levado para fazer suas necessidades fisiológicas em local adequado.

O projeto Cão Guarda-vidas do Corpo de Bombeiros de Itajaí surgiu após uma pesquisa sobre trabalhos semelhantes feitos na Europa. Na Itália, por exemplo, cães são treinados para reforçar o efetivo da guarda costeira em operações no oceano. “ Com base em atividades como esta e também na aptidão e amor que Ice tem pela praia, começamos o projeto piloto no Brasil”, relatou ao RankBrasil o bombeiro Thiago Evandro Amorim, que conduz o cão na praia.

Ice possui certificações regidas pela International Rescue Organization (IRO), entidade dirigida pela Organização das Nações Unidas (ONU) e responsável pelas diretrizes do serviço de Busca com Cães no mundo.
Outras atuações

O cão também já atuou no Distrito de Bento Rodrigues em Mariana (MG), na localização de vítimas do soterramento que assolou a cidade, em 2015. Além disso, o animal participa do projeto de Cinoterapia - terapia com cães em conjunto com a equipe de assistência social do Hospital e Maternidade Marieta Konder Borhaussen, na cidade de Itajaí. O cachorro tem contato com pacientes, familiares e funcionários do local.