EDUCAÇÃO

  • 08/01/2013 (15:06:00)

  • Da Redação

Educação

MEC divulga nova lista com 38 cursos \"reprovados\" em avaliação

 A  Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação do Ministério da Educação (MEC) divulgou hoje (8) no Diário Oficial da União uma nova lista com 38 cursos de 21 instituições de ensino superior em todo o país obtiveram resultados insatisfatór

 A  Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação do Ministério da Educação (MEC) divulgou hoje (8) no Diário Oficial da União uma nova lista com 38 cursos de 21 instituições de ensino superior em todo o país obtiveram resultados insatisfatórios no Conceito Preliminar de Curso (CPC) de 2011. De acordo com o ministério, a situação desses cursos ainda estava "sob análise" e por isso os resultados do CPC só foram publicados agora, quase um mês depois da divulgação oficial dos indicadores de qualidade do ensino superior.  Do total, 17 são de universidades públicas, incluindo instituições federais e estaduais.

O CPC é um indicador divulgado anualmente pelo MEC. Ele é calculado a partir de variáveis como a titulação do corpo docente, o projeto pedagógico e a infraestrutura do curso, além dos resultados dos alunos no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade). Cada curso pode receber uma nota de 1 a 5, sendo os resultados 4 e 5 considerados bons, 3 satisfatório e 1 e 2 ruins. Cursos com conceito inferior a 3  ficam automaticamente impossibilitados de participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). A punição para os cursos que receberam notas 2  será a suspensão de sua autonomia, o que impede a abertura de novas vagas sem prévia autorização do ministério.

As 21 instituições com avaliação insatisfatória terão de assinar um protocolo de compromissos com o Ministério da Educação (MEC) para corrigir deficiências e melhorar a qualidade do ensino, se quiserem sair do estado de recuperação. Elas devem ajustar em 60 dias as questões relacionadas a corpo docente - número mínimo de professores com mestrado e doutorado e com regime de trabalho de dedicação exclusiva - e em 180 dias os problemas de infraestrutura.

O plano de melhoria será acompanhado por uma comissão de avaliação, que fará relatórios bimestrais sobre a evolução da correção das deficiências apontadas pelo MEC. Caso se verifique o não cumprimento das medidas, será instaurado processo administrativo, que pode resultar no fechamento do curso.

Fonte:EBC