GENTE

  • 02/02/2018 (12:34:28)

Em Cuba

​ Filho mais velho de Fidel Castro comete suicídio

Fidelito, o filho mais velho de Fidel Castro, se matou aos 68 anos após enfrentar um quadro de depressão - AFP/Arquivos

Fidel Castro Díaz-Balart, o “Fidelito”, filho mais velho do falecido presidente cubano Fidel Castro, se matou na quinta-feira aos 68 anos, depois de sofrer um estado depressivo, um fato que comoveu o país, onde era muito conhecido, apesar de nunca ter ocupado cargos políticos.

“O doutor em Ciências Fidel Castro Díaz-Balart, que vinha sendo atendido por um grupo de médicos há vários meses por um estado depressivo profundo, atentou contra sua vida na manhã de hoje, primeiro de fevereiro”, comunicou o jornal oficial Granma.

Muitos lembram dele ainda menino, vestido com o uniforme verde oliva, quando entrou em Havana ao lado de seu pai em 8 de janeiro de 1959 como parte da Caravana da Vitória, que levou Fidel do leste ao oeste da ilha.

O filho mais velho de Fidel sempre foi um fiel adepto da revolução de seu pai.

A notícia do suicídio, também divulgada no telejornal nacional durante a noite, pegou de surpresa os cubanos e acontece apenas 15 meses após a morte de seu pai, que faleceu em 25 de novembro de 2016 aos 90 anos.

De acordo com a imprensa oficial cubana, como parte de seu tratamento por depressão, “Fidelito” – como era conhecido no país – “pediu inicialmente um regime de hospitalização e depois se manteve em acompanhamento ambulatorial durante sua reintegração social”.
“No momento de seu falecimento ele era Assessor Científico do Conselho de Estado e vice-presidente da Academia de Ciências de Cuba”, segundo a imprensa.

Muito parecido com o pai, inclusive na altura e barba, “Fidelito” foi filho do casamento do líder da revolução cubana com Mirtha Díaz-Balart, sua primeira mulher, da qual se separou após o triunfo de 1959.

Mirtha Díaz-Balart mora na Espanha.