ECONOMIA

  • 09/10/2013 (15:01:00)

PRESENTES

Pesquisa aponta que as crianças preferem "games" no seu dia

Hoje, 47,4% das pessoas de 05 a 19 anos têm videogame em casa, assim como 39% das que têm 20 a 29, 33% das que têm 30 a 39, 28% das que têm 40 a 49, e 21% das que têm 50 anos ou mais

Hoje, 47,4% das pessoas de 05 a 19 anos têm videogame em casa, assim como 39% das que têm 20 a 29, 33% das que têm 30 a 39, 28% das que têm 40 a 49, e 21% das que têm 50 anos ou mais.

Mais de um terço da população brasileira acima de 10 anos de idade é proprietária de algum tipo de videogame, principalmente  em casa.É o que mostra a pesquisa tocada pelo grupo Ipsos, em parceria com a Estudos Marplan EGM.

A pesquisa foi realizada entre janeiro de 2008 e dezembro de 2013, e o resultado é ocrescimento da popularização dos jogos no Brasil, concentrado principalmente nos mais jovens. 

O Ibope fez uma pesquisa em setembro último para saber a preferência, quando o assunto é presente para os dia das crianças, confirmando a tendência: os jogos eletrônicos destacam-se na lista de desejos de crianças e adolescentes entre os presentes para o Dia das Crianças.

Um empresário do comércio especializado na rua Pedro Álvares Cabral, no centro de Erechim, diz que "há inúmeras opções de jogos, desde títulos para as crianças que estão entrando no mundo dos games, até para adultos que gostam de temas mais fortes". Jones diz que a dica na hora de escolher o jogo para a criança é observar a classificação indicativa, que está presente na capa do produto. "Certamente, um jogo recomendado para maiores de 16 anos de idade não é ideal para uma criança com menos de dez anos", diz Jones. 

O empresário lembra que a grande maioria dos adultos hoje não tiveram games no passado e se divertem com a tecnologia atual. Como no resto do mundo, em Erechim também 

O volume 5,  da série Grand Theft Auto (GTA), tornou-se o maior fenômeno de consumo.  Agradando a todos mas que só pdoe ser vendido e consumido por fãs acima de 18 anos, o game virou objeto de adoração. Jones explica que o GTA V " lembra a casa da vovó, um lugar cheio de possibilidades, onde quase tudo é permitido e a única regra é se divertir — só que com carros velozes, mulheres seminuas e um gigantesco arsenal de armas".