SAÚDE

  • 09/05/2018 (17:09:50)

  • Repórter: Da Redação

  • Fotógrafo: Leonardo Lazarotto/Assessoria

A precária situação dos pequenos hospitais na região da AMAU

Prefeitos discutem com o Governo do Estado a manutenção dos pequenos hospitais

Portaria da Saúde retira recursos do Estado para pequenos hospitais

Prefeitos de municípios sedes de pequenos hospitais na região do Alto Uruguai, reuniram-se nesta quarta-feira(9) com o secretário estadual da Saúde para discutir a nova política do Estado em relação aos hospitais com até 30 leitos, considerados pequenos e sem legislação específica por parte do Ministério da Saúde. 

Uma portaria recente do governo gaúcho determina a transformação dessas casas de saúde em Pronto Atendimento de Urgências. Os prefeitos de Itatiba do Sul, Jacutinga, Gaurama, Herval Grande e Severiano de Almeida, com a ajuda do presidente da AMAU, prefeito de Ponte Preta, Ademir Marcio Sakrezenski, do prefeito e do secretário da Saúde de Erechim, Luiz Francisco Schmidt e Jackson Arpini, respectivamente, teria conseguido no encontro de hoje(9), provocar mudanças na política que vai regulamentar a Portaria que provoca a mudança. 

Ao final do encontro o presidente da AMAU, Ademir Marcio Sakrezenski falou sobre o encontro:  "Acabamos de sair da reunião com o Secretário de Saúde do Estado e nos foi garantido que o Estado tem todo o interesse de manter os pequenos hospitais abertos. O Secretário sinalizou que está ocorrendo uma interpretação equivocada por parte de alguns vigilantes sanitários, em especial quanto a questão da  obrigatoriedade de Raio X e mais de 50 leitos, o que, segundo o secretário, está equivocado, não existindo tal obrigatoriedade".

Ainda segundo o presidente da AMAU, "o secretário da Saúde prometeu para a  próxima semana um treinamento com todos os vigilantes da Coordenadoria de Erechim para unificar entendimentos da legislação. Faremos também um pedido formal de esclarecimento destes pontos para que a Secretaria de Saúde do Estado nos responda formalmente".

Se o Governo do Estado  colocar em prática a Portaria 64/2018, que provoca as mudanças de tratamento financeiro com hospitais pequenos, os hospitais maiores na região, localizados em Getúlio Vargas, Erechim e Aratiba, não vão comportar o fluxo de pacientes. O secretário da Saúde de Erechim, Jackson Arpini gostou do resultado do encontro e ficou otimista em relação ao futuro das negociações.