SAÚDE

  • 14/11/2018 (00:09:10)

  • Da Redação

  • Repórter: AScom

Primeira turma de epidemiologia

Estado forma primeira turma de epidemiologia aplicada ao SUS

A cerimônia de entrega dos certificados ocorreu no auditório do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) realizou nesta terça-feira (13) a formatura da primeira turma do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do Sistema Único de Saúde – Nível Fundamental (EpiSUS – Fundamental). O objetivo do treinamento foi capacitar profissionais do Estado e de municípios na análise de dados, investigação de casos, respostas a surtos e comunicação em saúde pública.

A cerimônia de entrega dos certificados ocorreu no auditório do Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers), em Porto Alegre. Na oportunidade, o secretário estadual da Saúde, Francisco Paz, destacou a importância da qualificação das ações de vigilância. “Em situações de surtos ou epidemias, não podemos perder tempo. É necessário que tenhamos uma pronta resposta ágil e eficiente que possa identificar e avaliar o cenário, conduzir as ações e informar a população”, disse.

A primeira turma formada no Rio Grande do Sul é composta por 26 servidores da Secretaria Estadual da Saúde e de seis municípios da Região Metropolitana (Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Gravataí, Porto Alegre e São Leopoldo). A escolha das cidades teve como critério ser município da 1ª e 2ª Coordenadorias Regionais de Saúde, com mais de 100 mil habitantes e conforme índice de doenças e agravos como sífilis, tuberculose, HIV, meningite, sarampo, influenza, arboviroses, fatores ambientais biológicos e não biológicos e serviço de Vigilância Sanitária. O treinamento contou com 176 horas-aula, entre atividades presenciais e à distância, realizadas entre os meses de agosto e novembro deste ano.

A iniciativa é uma parceria entre a SES, por meio do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, e o Ministério da Saúde, com apoio das organizações internacionais Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) e Rede de Programas de Treinamento em Epidemiologia e Saúde Pública (Tephinet). O projeto surgiu em 2015, depois dos primeiros surtos do vírus zika no país, como forma de preparar os profissionais para enfrentar os novos desafios da saúde. Nova turma, para mais municípios, tem previsão de início para o primeiro semestre de 2019.