CIDADE

  • 11/01/2019 (13:59:35)

  • Da Redação

Calamidade Pública em Alegrete

O Ibirapuitã continua subindo; agora a cheia é de 13,15 metros

Alegrete está vivendo uma situação de calamidade pública. São centenas de famílias desabrigadas, muitas em abrigos, outras que estão em barracas ou retiraram os móveis e estão dormindo dentro dos veículos.

Foto reprodução WhatsApp

O cenário nesta manhã de sexta-feira se assemelha ao de 2015, onde Alegrete registrou uma das maiores enchentes. São milhares de pessoas que já foram atingidas pelas águas. A Defesa Civil do município está solicitando com urgência , quem puder ajudar deve entrar em contato através dos números 3961 1606 ou 991477276.

Durante o percurso que a reportagem realizou nesta manhã, entre a Avenida Eurípedes Brasil Milano, Avenida Doutor Lauro Dorneles(final) e Bairro Canudos, o movimento era muito intenso de retirada de móveis das residências, porém, sem transporte estão sendo colocados na rua. Há necessidade de mais lonas.

Na Avenida Eurípedes Brasil Milano perto do cruzamento com a Dr Quintana a preocupação é quanto à energia elétrica. Muitos medidores já estão embaixo d’água. A Sede da RGE Sul também foi atingida.

Uma corrente solidária se formou para auxiliar na alimentação, são muitas pessoas que estão ajudando, mesmo assim, ainda, insuficiente. O volume de água é assustador e ainda continua subindo.

De ontem para hoje ao final da manhã a água avançou sobre ruas e inundou locais que só são atingidos nas grandes enchentes. Moradores acostumados com as cheias do Ibirapuitã, já apontam essa enchente tão grande quanto a de 2015, que desabrigou centenas de pessoas. A inundação já é bem semelhante. E naquele ano houve equívoco na medição do Rio, tanto que nos registros oficiais a cheia teria sido de 12 metros, o que hoje se comprova mais uma vez não ser verdadeiro o registro, tendo em vista que o Ibirapuitã já está mais de 13 metros acima do nível.