AGRICULTURA

  • 17/02/2019 (11:09:34)

  • Repórter: Secom/Piratini

  • Fotógrafo: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

Agronegócio

Abertura de festa na Serra demonstra perseverança do produtor colonial

Neste e no próximo final de semana de fevereiro, a cidade de Nova Pádua reúne turismo, gastronomia e cultura da Serra durante a 14ª Festa de Produtos Coloniais (Feprocol). Com o tema Belezas naturais, gastronomia, alegria e muito mais, a abertura oficial teve a presença do governador Eduardo Leite na manhã deste sábado (6). A expectativa é de que 30 mil pessoas prestigiem o evento nos dois finais de semana.

A edição deste ano correu o risco de ser cancelada devido a um forte temporal que atingiu a cidade em outubro de 2018. As perdas foram superiores a 90% em algumas lavouras e o prejuízo chegou a R$ 45 milhões. No entanto, a prefeitura decidiu manter a festa a fim de homenagear a perseverança dos agricultores. “O que se sobressaiu foi a resiliência do produtor e do agricultor paduense em realizar o evento para mostrar o que Nova Pádua tem de melhor”, ressaltou o prefeito Ronaldo Boniatti.

 “A comunidade de Nova Pádua nos prestigia com o carinho ao nos receber, e nos inspira com a força do trabalho, com a superação das condições climáticas, das adversidades. Essa força é um grande exemplo para todo o Estado", exaltou Leite.

Força que vem da terra

Segundo ele, a coragem de quem empreende, apesar de todas as dificuldades logísticas e burocráticas, e também da imprevisibilidade do clima, deve ser encorajada e exaltada.

Entre as atrações, estão a exposição de produtos coloniais e agroindustriais, gastronomia típica italiana, desfiles de carros alegóricos, apresentação de bandas, corais e shows nacionais. O prefeito relembrou o carinho que tem pelo evento, do qual foi presidente duas vezes. “Nova Pádua é essencialmente agrícola. Estamos entre os quatro municípios do estado com a maior produtividade por hectare", destacou Boniatti. “O produtor está em festa hoje, pois tem a oportunidade de mostrar à comunidade tudo o que produz”, acrescentou o vice-prefeito e presidente da Feprocol, Gelson Souza.

A festa promove o resgate da tradição e do trabalho de imigrantes italianos e a valorização dos produtos locais. A economia da cidade está ligada à agricultura familiar, responsável por 90% do PIB interno. A principal atividade é o cultivo da uva, cuja produção anual atinge em média 40 milhões de quilos. A produção de pêssego, maçã, cebola, alho e a criação de aves também movimentam a economia paduense.