AGRICULTURA

  • 25/02/2019 (19:42:57)

  • Repórter: Emater

  • Fotógrafo: Divulgação/Emater

Charrua sedia Encontro de Produtores de Leite

“A profissionalização da atividade é um caminho sem volta”. Esta foi a frase repetida inúmeras vezes no Dia de Campo em Bovinocultura Leiteira que ocorreu na semana passada (21/02), na Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, no município de Charrua. Durante a manhã, as cerca de 180 pessoas que prestigiaram o evento assistiram as palestras sobre Bezerra Leiteira, proferida pelo assistente Técnico Regional (ATR) da Emater/RS-Ascar, Vilmar Fruscalso, e sobre Sistemas Confinados de Produção de Leite, com os médicos veterinários André e Emilia Caldato, da Laore Consultoria. 

Na primeira palestra, Fruscalso ressaltou que qualificar o processo produtivo e criar bem as bezerras são alternativas para manter-se no mercado. Com este objetivo, apresentou dados de pesquisa sobre o tema, destacando aspectos práticos de nutrição e manejo, como acompanhar o parto e tratar o umbigo da bezerra; oferecer colostro na primeira hora pós nascimento; alimentar com leite, ração e feno; manter água sempre à disposição e desmamar aos 60 dias. Fruscalso também ressaltou a importância da Assistência Técnica continuada e qualificada que oferece informações atuais e importantes aos agricultores. “O produtor precisa confiar no técnico e seguir suas orientações, enquanto o técnico deve ser um profissional preparado e comprometido para haver sucesso na criação da bezerra”, disse.

A equipe da Laore Consultoria apresentou os diferentes tipos de confinamento para bovinos de leite e destacou que o crescimento dos confinamentos está ocorrendo para propiciar maior bem-estar aos animais e às pessoas que trabalham com leite. Porém os sistemas confinados de produção de leite requerem mudança de hábitos em relação à atividade, principalmente no que diz respeito às tarefas diárias e ao gerenciamento da propriedade para que haja viabilidade financeira. Segundo a consultoria, o custo para a implantação de sistemas confinados varia de R$ 5 mil a R$ 10 mil por animal. “Importante que quem tiver interesse visite e converse com os produtores para saber o que dá certo e o que não dá certo em cada sistema” destacou André.

Após as palestras técnicas ocorreram as estações na Granja Caldato. A propriedade familiar, comandada pelo casal Ilvano (55) e Marilei (54) com o filho Leonardo (20), é Unidade de Referência do Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar e possui um sistema de confinamento Free stall. Nos 33 hectares da propriedade, a família trabalha com o cultivo de cereais e produção de leite. Atualmente com 34 vacas em lactação, viu no confinamento uma oportunidade de aumentar a produção, reduzindo a penosidade do trabalho, além de manter o filho na propriedade. 

Em uma das estações, a família compartilhou sua história. Com pouca terra, o casal trabalhou durante um ano na cidade, mas sempre com a intenção de retornar. Em 1997, retornaram, ampliaram a área para produção, adquiriram uma área por intermédio do Banco da Terra e iniciaram o trabalho com a atividade leiteira. Os dois filhos mais velhos, contudo, permaneceram na cidade. Marilei conta que era resistente ao confinamento, mas hoje, após um ano de Free stall, não imagina como davam conta de tanto trabalho. “O confinamento facilita a vida do produtor”, destaca Leonardo. A equipe da Laore Consultoria apoiou a família na Estação e destacou que o ponto chave para a produção de leite é o manejo, pois ele interfere diretamente na sanidade dos animais.

Na Estação sobre Alimentos Conservados, o gerente Comercial da Milk Seeds, Rogério Vedelago, falou sobre a qualidade da silagem de milho e os fatores que influenciam. “Setenta por cento dos problemas no rebanho ocorrem em função da qualidade do alimento ofertado”, disse, ao orientar sobre o ponto de corte do milho, tamanho de partícula e altura de corte para que o alimento seja de alta digestibilidade. Também abordou sobre a elaboração de silagem de trigo que, segundo ele, substitui com qualidade o feno.

Sobre Qualidade do Leite, estação coordenada por Fruscalso, os agricultores conheceram o que é CCS (Contagem de Células Somáticas) e CPP (Contagem Padrão de Placa). Estes parâmetros são indicadores de qualidade do leite diretamente ligados à sanidade dos animais e higiene no processo de ordenha. Fruscalso falou sobre a importância do teste da raquete para identificação de mastite subclínica e a importância da higienização dos tetos antes e após a ordenha (pré e pós dipping). Além do manejo da ordenha, foram repassadas orientação sobre limpeza e higienização da ordenhadeira.

Segundo o agricultor Riel Scariot, o dia de campo foi uma oportunidade de aprimorar os conhecimentos sobre a atividade e fazer um intercâmbio, conhecendo novas formas de produzir. “Temos 18 vacas e produzimos a pasto, sempre é bom conhecer outras alternativas”.

A abertura oficial da atividade contou com a presença do prefeito Valdésio Roque Della Betta, do gerente Regional da Emater/RS-Ascar, Gilberto Tonello, e do gerente do Sicredi, Milton Provin. Na sua fala, Milton destacou que o Sicredi acredita que a agricultura e a atividade leiteira são muito importantes, porém com profissionalização constante. “O Sicredi é parceiro e está à disposição de todos” destacou. 

O gerente regional da Emater/RS-Ascar parabenizou aos agricultores por estarem participando e dedicando seu tempo para a qualificação das atividades “O agricultor precisa ver sua propriedade como uma empresa e torna-la lucrativa”. Lembrou que a Emater/RS-Ascar oferece cursos de qualificação no Centro de Treinamento, agradeceu o empenho de todos os extensionistas envolvidos na organização bem como da parceria com a Prefeitura e o Sicredi.

Destacando a participação dos agricultores de Charrua e dos municípios vizinhos, o prefeito Della Betta agradeceu o trabalho desenvolvido pela Emater/RS-Ascar no município e ressaltou a importância da sucessão familiar para os municípios e a atividade leiteira como oportunidade de desenvolvimento.

O evento foi promovido pela Emater/RS-Ascar através dos escritórios Municipal de Charrua e Regional de Erechim e da Prefeitura, com apoio do Sicredi e Laore Consultoria. Contou ainda contou com a participação de representantes dos municípios de Floriano Peixoto, Getúlio Vargas, Erebango e Estação.