SAÚDE

  • 26/03/2019 (21:50:50)

  • Portal G1/RS

  • Fotógrafo: Divulgação

PREVENÇÃO

Vacinação contra a gripe no RS começa em 10 de abril para crianças e gestantes

Grupo foi priorizado, neste ano, porque foi o que menos se vacinou na campanha anterior.

A campanha de vacinação contra a gripe começa dia 10 de abril no Rio Grande do Sul. Na primeira semana, a campanha será direcionada apenas para gestantes e crianças de até 6 anos de idade. De acordo com a Secretaria de Saúde do estado, o grupo foi priorizado, neste ano, porque foi o que menos se vacinou na campanha anterior.

A partir do dia 22 de abril, pessoas acima dos 60 anos, doentes crônicos e professores podem receber a dose nas Unidades Básicas de Saúde de todo o estado.

No total, são mais de 3,7 milhões de pessoas que devem receber a vacina. A meta é alcançar 90% delas.

A vacina protege contra três tipos de vírus Influenza: A (H1N1), A (H3N2) e B. A dose deste ano foi atualizada com subtipos diferentes nas cepas H3N2 e B, por isso deve ser repetida mesmo por quem já se protegeu na temporada passada.

A vacina é produzida com vírus mortos, sem risco de causar infecção.

A imunização leva em torno de 15 dias para gerar proteção ao organismo, por isso a importância de se vacinar no período da campanha, antes da chegada do inverno, época do ano de maior circulação da doença.

Serviço

Grupos que podem receber a vacina a partir de 10 de abril

  • Crianças de 6 meses até menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias)

  • Gestantes

Grupos que podem receber a vacina a partir de 22 de abril

  • Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias)

Gestantes (em qualquer tempo gestacional)

  • Puérperas (mulheres até 45 dias após o parto)

  • Pessoas com 60 anos ou mais

  • Povos indígenas aldeados

  • Trabalhadores de saúde dos serviços públicos e privados

  • Presos e funcionários do sistema prisional

  • Professores de escolas públicas e privadas

  • Portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais*