AGRICULTURA

  • 29/03/2019 (01:19:26)

  • Da Redação

  • Repórter: Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar

Colheita no RS

Colheita do milho avança e atinge 65% das lavouras no RS

A colheita do milho avançou para 65% das lavouras no Rio Grande do Sul. Beneficiada pelo clima, as lavouras de milho atingem 21% maduras, 12% em enchimento de grãos e 2% estão em floração. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (28/03), os produtores gaúchos avaliam a possibilidade de aumentar a área na próxima safra, como forma de diminuir a infestação de nematoides nas lavouras e de garantir maior presença de palha no sistema plantio direto. Nos próximos dias, a colheita do milho terá o ritmo reduzido, em função de os agricultores priorizarem a colheita da soja.

Nas regiões Fronteira Noroeste e Missões, a maioria das lavouras de milho foi colhida, o que representa 79% da área cultivada. Nessas regiões, o clima favorável resulta no bom aspecto das lavouras de safrinha. Na região da Produção, 70% da área está colhida, com produtividade média de 8.500 kg/ha. Já no Norte do RS, 90% das áreas destinadas a grão foram colhidas, com produtividade média de 147sc./ha; o município de Sertão apresentou média de 180 sc./ha. O milho para silagem já foi totalmente colhido na região, com produtividade média superior a 42 mil quilos por hectare.

A colheita da soja também avança no Estado e já atinge 32% da área, com 40% madura e por colher, 26% das lavouras estão em enchimento de grãos e, em virtude do plantio da safrinha, 2% da área de soja está em floração. A produção varia de acordo com a variedade implantada e a época de semeadura. A produtividade obtida na semana varia de 2.700 a 4.380 kg/ha, segundo relatos de produtores.

A maior parte das lavouras de soja está em fase de formação de vagens e enchimento de grãos; porém já está sendo realizada a colheita de lavouras com cultivares precoces, com encurtamento do ciclo devido à falta de chuvas em algumas localidades, principalmente na Campanha. As lavouras mais afetadas pela falta de boas chuvas são as de cultivares de ciclo médio em fase de enchimento dos grãos. As áreas cultivadas após o Natal estão em fase final de formação das vagens e podem recuperar o potencial produtivo se chuvas regulares voltarem a ocorrer.