POLÍTICA

  • 24/04/2019 (18:38:49)

  • Repórter: Leonardo Bortolotto/Assessoria

  • Fotógrafo: Divulgação

Pacto por Aratiba

Vereadores de Aratiba aprovam projeto com uma emenda da oposição

Aconteceu na última segunda-feira, 22, a reunião ordinária da Câmara Municipal de Aratiba em que foi discutido e votado o Projeto de Lei denominado “Pacto por Aratiba". Na oportunidade os vereadores aprovaram o mesmo por unanimidade, mantendo apenas uma das três emendas feitas pela oposição. O restante foi aceito.

A única emenda prevê que, em anos eleitorais, os recursos sejam destinados aos agricultores até o final do mês de Maio.

Durante a sessão, o vereador Rafael Juliano Dino rebateu os argumentos dos vereadores da situação colocando que “Aratiba fechou o ano de 2018 com uma arrecadação de cerca de R$ 52 milhões, nós somos o 1º lugar no Alto Uruguai, 4º lugar no estado e 26º no país em arrecadação per capita, o que nos coloca em uma posição privilegiada em relação aos demais municípios. Graças aos investimentos na Agricultura das gestões anteriores. Certamente dinheiro há sim para realizar o projeto em qualquer tempo, basta gerenciar os recursos com responsabilidade”, salientou Rafael.

- Ainda, continuou colocando que “o que precisamos é dar mais valor para o povo e menos para os partidos. Erechim hoje conta com aproximadamente 110 CC’s, enquanto Aratiba já se aproxima dos 100, e olha que nós temos 95 mil habitantes a menos. Em quatro anos o total em salários de CC’s será aproximadamente R$ 14 milhões. Portanto, dizer que os vereadores estão inviabilizando a Administração é algo que não se justifica. É necessário vontade política, planejamento e desapego”.

O projeto, que foi lançado pela Administração Municipal no dia 22 de Fevereiro, já vem tramitando e sendo discutido na Câmara de Vereadores há algum tempo. Segundo o vereador Jandir Tamanho, “Em sete mandatos de vereador nunca vi acontecer o que está acontecendo hoje em Aratiba, lançaram um projeto chamado ‘Pacto’ que é totalmente diferente daquele prometido na campanha eleitoral, e pior, lançaram o projeto sem ter organizado como pagar, sem saber quanto cada agricultor irá receber e o principal, lançaram o projeto sem ter o recurso em caixa para pagar. O que nós vemos é um governo que, na verdade, não quer dar nenhum incentivo aos agricultores, só não sabe como fugir do compromisso, por isso tenta jogar a culpa nos vereadores de oposição.”

Os vereadores da oposição destacaram que a emenda que estabelece prazo, em momento algum impede a execução do projeto. Mas sim coloca o compromisso da Administração em executar. Agora está na mão do prefeito em colocar em prática, pois quando se cria um projeto sabe-se que deve ter recursos financeiros identificados no orçamento, se não houver recursos suficientes, o projeto não vai avançar.