SEGURANÇA

  • 14/05/2019 (11:02:29)

  • Da Redação

  • Repórter: Fonte: Atual FM

Situação “caótica” do IGP de Concórdia

Diretor do IGP reconhece situação “caótica” do IGP de Concórdia e demora para atendimentos no Alto Uruguai Catarinense

Em Santa Catarina, segundo os levantamentos, seriam necessários 340 profissionais para atuar, porém apenas 120 estão na ativa.

O diretor-geral do Instituto Geral de Perícias em Santa Catarina, Giovani Eduardo Adriano, disse nessa semana em entrevista à NSC/TV que nos próximos três anos a tendência é de contratar profissionais para atuar em todo o Estado. Durante sua entrevista, ele destacou o problema caótico vivido pela região de Concórdia onde o IGP tem apenas um perito criminal para atender as demandas e necessita de auxílio de profissionais de Chapecó que se deslocam ao Alto Uruguai Catarinense.

O Governo do Estado realizou concurso público para contratação de profissionais para atender essa demanda específica do Instituto Geral de Perícias, porém ninguém ainda foi convocado. Em Santa Catarina, segundo os levantamentos, seriam necessários 340 profissionais para atuar, porém apenas 120 estão na ativa.

Desses, alguns estão afastados. Com isso sobra, cerca de 100 profissionais peritos para atender toda a demanda em Santa Catarina.

Em Concórdia, por exemplo, os levantamentos estão sendo realizados por profissionais de Chapecó que estão de plantão. O deslocamento muitas vezes demora algumas horas gerando reclamação por parte dos familiares das vítimas. Giovani Eduardo Adriano reconhece que a população “não pode pagar esse preço”. Por isso, está sendo analisado a contratação de novos profissionais já aprovados em concurso público.

O coronel Araújo Gomes, presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública (CSSP), afirma que uma das prioridades é o IGP visando melhorar os serviços prestados à população pelo Estado. Ele também reconhece que os problemas de falta de profissionais está impactando diretamente no atendimento do cidadão.