EDUCAÇÃO

  • 24/06/2019 (11:31:32)

  • Julio Mocellin

Equipamento de irrigação

UFFS recebe novo equipamento de irrigação

Sistema será utilizado principalmente pelo curso de Agronomia, oportunizando o desenvolvimento de projetos e promovendo ações de conscientização e formação

A área experimental da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) - Campus Erechim está recebendo um novo equipamento. Trata-se de um sistema de irrigação por pivô central, adquirido com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Nos próximos dias, a instituição poderá fazer uso deste equipamento nas aulas e nas pesquisas.

Vários acadêmicos do curso de Agronomia colaboraram na montagem do equipamento junto com técnicos da empresa responsável pela máquina. De acordo com o professor Hugo Piazzetta, que atua na área de irrigação, o novo sistema vem sendo muito utilizado no Brasil, principalmente em grandes culturas agrícolas. “Isto por possuir elevada eficiência de aplicação e distribuição de água, além da questão da automação”, salienta o docente.

Segundo o professor, conforme o Atlas da Irrigação de 2017, disponibilizado pela Agência Nacional da Águas, há no Brasil mais de 23 mil sistemas de irrigação com pivô central em funcionamento, irrigando uma área total que ultrapassa 1,5 milhão de hectares. “Apesar de parecer uma grande área, este número representa apenas 2,3% da área agrícola do Brasil”, destaca Hugo.

O professor da UFFS explica que a prática da irrigação utiliza a maior parte da água captada do meio ambiente. Entretanto, durante o ciclo das culturas e no produto final da produção, seja ele grãos, hortaliças, fibras ou frutas, apenas uma pequena parte da água é exportada pelo produto agrícola.

“A maior parte da água utilizada nos mecanismos de irrigação é transpirada pelas plantas e lançada na atmosfera, elevando a umidade do ar e promovendo a formação de nuvens e chuvas. A prática correta da irrigação contribui favoravelmente ao ciclo da água, uma vez que, após o seu uso, a água é disponibilizada ao meio ambiente limpa e sem contaminação”, diz.

“Poucas instituições de ensino e pesquisa têm a oportunidade de ter um equipamento como este” afirma o professor. “Vai proporcionar elevado ganho do ponto de vista formativo aos acadêmicos, além de novas possibilidades de pesquisas.”

O equipamento adquirido pela UFFS vai irrigar uma área de aproximadamente 3 hectares onde são realizadas atividades práticas do curso de Agronomia, além de diversas pesquisas, principalmente nas áreas de fitotecnia, fitossanidade e irrigação.

Além de possibilitar a utilização da água no momento certo em que cada experimento exige, poderão ser ampliadas as pesquisas já desenvolvidas no Campus, que visam melhorar o uso da água de irrigação em sistemas produtivos. Segundo o professor Hugo, a UFFS terá também a oportunidade de desenvolver projetos de extensão na temática da irrigação, promovendo ações de conscientização e formação na área.

Para os professores Leandro Galon e Paola Milanesi, que coordenam parte das pesquisas desenvolvidas na área experimental da UFFS, a oportunidade de trabalhar com este sistema deverá dar mais segurança aos experimentos, minimizando a possibilidade de perdas por causa da irregularidade das chuvas. Também poderão ser desenvolvidas novas temáticas de pesquisa, buscando a compreensão e manejo de culturas em ambientes irrigados.

Conforme o professor Nerandi Camerini, que coordena os trabalhos de conclusão de curso (TCCs), “a disponibilidade de um equipamento como o que está sendo instalado no Campus vai ampliar e qualificar os trabalhos de pesquisa com resultados mais fidedignos, contribuindo para a formação acadêmica e ampliação da participação da UFFS na geração de conhecimentos científicos”.

Referência na pesquisa e na formação de profissionais

A área experimental da UFFS começou a ser utilizada em 2015. Desde então, já foram desenvolvidos mais de 200 experimentos vinculados à iniciação científica, TCCs e dissertações de mestrado, gerando mais de 50 artigos científicos publicados, tornando-se, assim, uma referência em pesquisas da região.

Coordenador do curso de Agronomia, o professor Gismael Perin ressalta a importância de investimentos como este para a Graduação ofertada pela UFFS. “Temos à disposição dos nossos alunos diversos laboratórios e equipamentos de última geração que, aliados ao corpo docente extremamente qualificado, possibilitam a formação de excelência”, diz.

Gismael complementa afirmando que a Universidade possui um dos melhores cursos de Agronomia do Brasil. No último Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), os acadêmicos alcançaram o conceito máximo de avaliação. “Também observamos o desempenho dos nossos egressos no mercado de trabalho. Há engenheiros agrônomos formados na UFFS – Campus Erechim que atuam nas mais diversas empresas do setor agrícola, espalhados por todo o Brasil. Sem falar dos egressos nos melhores mestrados e doutorados, em instituições renomadas em âmbito nacional e internacional”, finaliza.