GENTE

  • 17/07/2019 (16:29:46)

  • GZH

  • Fotógrafo: Ronaldo Bernardi / Agência RBS

CRISTAL

Quem eram as mulheres mortas no confronto com a PF

Segundo a PF, elas atuaram em plano de resgate de criminosos que acabou frustrado

As duas mulheres mortas na RS-354, em Cristal, no sul do Estado, quando os carros em que estavam furaram uma barreira da Polícia Federal e foram alvejados por tiros, nasceram e residiam em Lajeado, no Vale do Taquari.

Ambas eram mães, não tinham antecedentes criminais, mas eram suspeitas de participar de um plano de resgate de criminosos que atacaram um banco em Dom Feliciano, no dia 6 de julho, e estariam escondidos na mata. Essas são as características comuns entre Aline Schmidt Pirola, 25 anos, e Daniela Weizemann, 35 anos.

Aline, que dirigia um dos carros, estava com a filha de três anos, que não foi atingida pelos tiros. A jovem era estudante de Pedagogia na Uniasselvi e estagiária em uma creche municipal de Lajeado.

De acordo com informações da prefeitura local, o estágio foi iniciado em outubro de 2018, e ela ingressou via Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE). Segundo a PF, ela seria companheira de um dos criminosos que está sendo procurado.

Daniela, em rede social, apresentava-se como microempresária individual (MEI). Conforme o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) da Receita Federal, sua MEI foi criada em setembro de 2011 e baixada (encerrada) em abril de 2016. O ramo de atividade não é especificado. Ela estava com o filho de quatro anos e o marido no outro carro que furou o bloqueio. Os dois ficaram feridos.

A criança foi encaminhada para um hospital de Porto Alegre, em estado grave, e o homem está sob custódia da polícia. Ele dirigia o carro e foi identificado como Marcos Luís Bergham,  34 anos, que estava em prisão domiciliar.

Bergham tem passagem pela polícia por roubo, duas tentativas de homicídio e um homicídio. Ele já havia sido condenado a 31 anos de prisão com pena a cumprir a partir de 2005. Foi beneficiado com progressão de regime em 2014 e tem previsão de liberdade condicional em 2023.