SEGURANÇA

  • 17/07/2019 (17:14:18)

  • G1

  • Fotógrafo: Ministério Público/Divulgação

Negada a permanência de presos do RS em penitenciárias federais de outros estados

A cada ano, o pedido de transferência precisa ser renovado pelo MP

Mais três presos mantidos em presídios federais podem retornar ao Rio Grande do Sul. As decisões que negam o pedido de prorrogação de permanência dos detentos em cadeias de outros estados são das Varas de Execuções Criminais (VECs) de Novo Hamburgo e de Canoas. O Ministério Público Estadual disse que vai recorrer da decisão.

Anderson Bueno Martins (Fofo), Leonardo Ramos de Souza (Peixe) e Juliano Biron da Silva (Biron) foram transferidos de cadeias gaúchas para o regime federal junto com outros 25 detentos do estado, em julho de 2017, durante a operação Pulso Firme. Dezessete continuam fora do estado.

Na última quarta-feira (10), a VEC de Novo Hamburgo já havia negado a renovação do prazo para dois presos - Risclei Bueno Martins e Wagner Nunes Rodrigues (Minhoquinha).

A justificativa do Ministério Público para mantê-los fora do estado é evitar o convívio com outros membros das facções criminosas que eles integram. Segundo o MP, a continuidade dos criminosos no sistema carcerário federal está entre os indicadores que contribuíram para a redução da criminalidade em suas regiões de atuação.

O juiz Carlos Fernando Noschang Jr. da VEC de Novo Hamburgo ressalta, no entanto, que os presos já estão conflagrados em regime diferenciado há dois anos, sendo que a previsão legal é 360 dias.