AGRICULTURA

  • 08/08/2019 (17:51:29)

  • Assessoria Emater -RS

  • Fotógrafo: Assessoria Emater -RS

Trigo entra em floração no Rio Grande do Sul


O plantio do trigo foi encerrado nesta semana e atinge uma área inicialmente estimada de 739,4 mil hectares. A maioria das lavouras está na fase de desenvolvimento vegetativo (perfilhamento e alongamento do colmo) e 3% estão em floração.

De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (08/08), na Regional da Emater/RS-Ascar de Ijuí, que engloba os Coredes Alto Jacuí, Celeiro e Noroeste Colonial e que é responsável por 30% da área de trigo do Estado, a cultura se desenvolve de forma satisfatória, em função das temperaturas mais baixas, alta luminosidade e umidade do solo ideal. Em geral as plantas apresentam um grande número de perfilhos, bom enraizamento e estatura de acordo com a fase de desenvolvimento. As plantas apresentam folhas de coloração verde intensa.

 Na segunda maior produtora de trigo do Estado, regional de Santa Rosa, que compreende os Coredes Fronteira Noroeste e Missões, responsável por 27% da área de trigo, as lavouras se recuperaram das chuvas da semana anterior e foi possível concluir a adubação em cobertura. Além disso, o frio impediu a proliferação de lagartas, e o tempo seco permitiu que os produtores realizassem o controle destas em lavouras atacadas no início do desenvolvimento da cultura do trigo.

 Para esta safra, a estimativa de plantio de canola é de 32,7 mil hectares, com rendimento médio de 1.258 quilos por hectare. Das lavouras do Estado, 35% delas se encontram na fase de desenvolvimento vegetativo, 44% em floração e 21% na fase de enchimento do grão.

As regiões da Emater/RS-Ascar principais produtoras dessa oleaginosa são Santa Rosa, Ijuí, Santa Maria e Bagé. Na regional de Santa Rosa (34,2% da área do Estado), por exemplo, que engloba os Coredes Missões e Fronteira Noroeste, 7% da área plantada com canola encontra-se em desenvolvimento vegetativo, 50% em floração e 43% enchimento do grão. A ocorrência de geadas no final de julho e início de agosto em algumas lavouras em plena floração provocou danos na produtividade, levando alguns produtores a encaminharem a solicitação de amparo do Proagro.