GENTE

  • 18/08/2019 (20:47:51)

  • Repórter: Rádio Uirapuru

  • Fotógrafo: Álbum de família

PASSO FUNDO DE LUTO

Morreu o radialista Meireles Duarte

​ Cala-se a voz lendária do rádio passo-fundense. O prefeito Luciano Azevedo decretou luto oficial na cidade por três dias.

Morreu na manhã deste domingo (18), aos 85 anos, Antônio Augusto Meireles Duarte. Voz inconfundível do rádio passo-fundense, advogado, vereador emérito, Meireles Duarte marcou história em Passo Fundo. Na comunicação foi pioneiro na região até se tornar um dos principais nomes da crônica esportiva no Rio Grande do Sul. O prefeito Luciano Azevedo decretou luto oficial na cidade por três dias. O velório ocorre na Câmara Municipal de Vereadores.

Filho do Tenente Delmar Duarte, falecido em 1981, e da professora de música aposentada do Instituto de Belas Artes da Universidade de Passo Fundo, falecida em 2001, Antônio Augusto Meirelles Duarte nasceu em Passo Fundo, no dia 19 de novembro de 1934.  Aos sete anos mudou-se para Getúlio Vargas, onde seu pai, que seguia carreira militar, assumiu a unidade por dez anos. Lá foi coroinha e assumiu o alto-falante da igreja, que era o rádio da cidade na época. Em 1951, quando fundaram a Rádio Vera Cruz de Getúlio Vargas, foi chamado para trabalhar como locutor. Foi o primeiro radialista do município, com apenas 17 anos.

Em 1952, a Rádio Passo Fundo estava sem locutor, por isso voltou à Capital do Planalto Médio. Notando que os jornais não traziam notícias de esportes locais, passou a contribuir também nesse setor, onde trabalhou por anos e, ainda hoje, colabora com uma publicação local e com uma rede de TV. Graças ao seu grande sucesso como um dos pioneiros da comunicação foi eleito vereador no ano de 1958. Sempre participou da vida política do município e da região, atuando nos bastidores. Tornou-se Bacharel em Direito pela Universidade de Passo Fundo em 1979.

As ações sociais marcaram a vida deste grande jornalista. Por 25 anos foi membro do Lions Internacional, recebendo, em 1987, o título de presidente exemplar, após concorrer com 50 outros presidentes do seu Distrito. No âmbito das condecorações civis, é detentor da maior comenda do Município que é a medalha “Fagundes dos Reis”. Conquistou o título por relevantes serviços prestados na comunicação e como vereador por cinco legislaturas, sendo o único que recebeu a homenagem tanto do Legislativo quanto do Executivo.Também é vereador emérito de Passo Fundo.

Meirelles conheceu sua esposa, Mary Raymundi, quando ela estudava e ligava para a rádio pedindo música. Desta relação resultaram três filhos, César Augusto, Luiz Felipe e Márcio Alexandre. Por isso tudo, Meirelles, passo-fundense nato, considera a cidade seu berço e seu maior orgulho.

POLÍTICA
Em 1958, o PTB teve problemas para preencher a nominata e Odylon Soares de Lima o chamou para concorrer. Aceitou por simpatia com o partido de Getúlio Vargas. Quando disputou a terceira eleição foi o Vereador mais votado e planejou largar a política para cursar a faculdade de Direito. 

Continuou filiado, mas não concorreu mais. Tornou-se bacharel em Ciências Políticas, Jurídicas e Sociais (Direito) pela Universidade de Passo Fundo e sagrou-se orador da turma, em dezembro de 1979. Depois do ressurgimento dos partidos políticos, ingressou nas fileiras do PMDB. No âmbito das condecorações civis, é detentor da maior comenda do Município que é a medalha “Fagundes dos Reis”. Conquistou o título por relevantes serviços prestados na comunicação e como vereador por cinco legislaturas, sendo o único que recebeu a homenagem tanto do Legislativo quanto do Executivo.Meirelles Duarte foi vereador destaque em 1990 e 1991. 

Condecorado pela subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil de Passo Fundo RS, em 1996. Atualmente, ainda é membro da academia Passo-fundense de Letras e presidente por cinco gestões: 90/91, 93/94, 2002/2003, 2005/2006 e 2006/2007.