AGRICULTURA

  • 23/08/2019 (15:57:19)

  • Repórter: Assessoria/Emater

  • Fotógrafo: Divulgação

1º SEMINÁRIO REGIONAL DE PSICULTURA

Produtores de peixe recebem orientações em evento

Mais de cem produtores do Alto Uruguai participaram do evento em Getúlio Vargas

Mais de cem produtores, além de extensionistas rurais e sociais da Emater/RS-Ascar da região do Alto Uruguai participaram do 1º Seminário Regional de Piscicultura, sediado em Getúlio Vargas, nesta quinta-feira (22/08), na comunidade Santa Lúcia. O evento, promovido pela Emater/RS-Ascar e Prefeitura de Getúlio Vargas, com apoio do Sicredi, da Agroindustrial Mig-Plus e da Agrocomercial De Martini, visa incentivar e capacitar produtores na criação e comercialização de pescados. Nesse sentido, foram ministradas palestras técnicas e visita à propriedade da família Noskoski, com três estações com orientações práticas e relato das atividades da propriedade. 

Foram ministradas  palestras técnicas pelos engenheiros agrônomos e extensionistas rurais do Escritório Central da Emater/RS-Ascar, Henrique Bartels, e do Regional de Frederico Westphalen, Carlos Roberto Olzevski.

O engenheiro palestrou sobre criação de tilápias em viveiros ou tanques escavados no Rio Grande do Sul, método de criação mais utilizado pelos produtores. Ele destacou várias recomendações técnicas de produção e manejo de tilápias, como adubação e qualidade da água, alimentação nutricional dos peixes e dimensionamento dos tanques. Entre os cuidados, recomentou a utilização do aerador, que poderá evitar a mortandade de tilápias.

Na avaliação de Carlos Roberto Olzevski, é importante que a cadeia produtiva esteja organizada. Existem tecnologias disponíveis e os produtores devem adotá-las, para que resultem em produção de alta qualidade e garantam a viabilidade econômica da atividade. Também chamou atenção para a capacitação. “É muito importante a profissionalização do produtor para obter resultados da área. É importante que o piscicultor se organize em associação ou construção de frigoríficos locais para comercializar a produção”, disse.

Já Henrique Bartels apresentou requisitos fundamentais para a criação de peixes, como qualidade e temperatura ideal da água para piscicultura, enfocando as diferenças de criação entre açudes e viveiros e questões ambientais do viveiro.

As orientações foram reforças durante a visita à propriedade do produtor Floriano Noskoski, com a realização de três estações. No local, o produtor Floriano e seu filho Lindomar relataram experiência com a atividade. Nas outras duas estações, Bartels e Olzevski reforçaram as orientações com ações práticas de verificação da qualidade e temperatura da água, adubação, entre outras necessidades de infraestrutura para a criação de peixes.

Em seis hectares da propriedade foram instalados oito açudes para piscicultura. A produção de 12 a 15 toneladas por ano de peixe é comercializada em Santa Catarina. A base da alimentação é feita de pastagens de verão e de inverno. No local, Lindomar fez uma demonstração de filetagem de peixe. A família cultiva ainda lavouras de grãos. A propriedade já funcionou como pesque e pague.