GENTE

  • 25/08/2019 (19:51:36)

  • Correio do Povo

  • Fotógrafo: Reprodução /Globo

LUTO

Fernanda Young morreu ontem (25), depois de uma crise de asma e parada cardíaca.

Fernanda desafiou padrões, polemizou e conquistou espaços


Dona de palavras (e atitudes) fortes, Fernanda Young morreu aos 49 anos na madrugada deste domingo, 25, vítima de uma crise de asma seguida por uma parada cardíaca. Figura importante na discussão da liberdade individual, especialmente das mulheres, ela desbravou campos e desafiou tabus ao longo de mais de 20 anos escrevendo livros e roteiros para a TV.

Suas atitudes e produção intelectual tiveram como pano de fundo sua necessidade de ser autêntica com o que acreditava, indignada com o que via, ciente dos questionamentos que poderia provocar. Em seu último livro, ‘Pós F: Para além do masculino e do feminino’, ela fala sobre feminismo e o critica, como era de sua personalidade. “A natureza humana demonstra uma clara necessidade de polarização. E estamos em uma época de opostos em conflito. Não acho inteligente excluir o outro de um debate que busque soluções iguais. Vivemos numa sociedade patriarcal que faz mal aos homens e as mulheres. O machismo é alimentado por ambos os sexos, e ambos saem perdendo. O feminismo não deveria excluir o homem.”, disse em entrevista a Revista GQ.

E complementou em outra oportunidade: "Se a gente quer ser ao contrário do homem, o homem vai ser machista, que tal a gente chamar para entender a beleza e a necessidade do feminino no mundo, do feminino nele, da energia feminina?", questionou ao lado da jornalista Leda Nagle no canal do You Tube da apresentadora.

Sua próxima ousadia era a peça ‘Ainda Nada de Novo’, onde viveria um casal de artistas com Fernanda Nobre. A estreia estava marcada para 12 de setembro. Em entrevista ao Jornal O Globo, desafiou: “Espero que todas as pessoas de bom senso sejam capazes de amar livremente, desde que haja consentimento mútuo.”

Fernanda Young será lembrada pelo humor ácido em suas produções televisivas, pela profusão de ideias em seus 14 livros, pelas polêmicas e desafios que fez questão de enfrentar. Casada com o também escritor Alexandre Machado, Fernanda Young deixa as gêmeas Cecília Madonna e Estela May, além do filhos filhos Catarina Lakshimi e John Gopala, com 10 anos.