EDUCAÇÃO

  • 09/09/2019 (20:59:28)

  • Repórter: nsctotal.com.br

  • Fotógrafo: redes sociais

RESISTÊNCIA 

Reitor da UFFS aguarda desocupação da reitoria para voltar a despachar no campus

Audiência de conciliação está marcada para esta terça-feira. MPF é contra reintegração forçada

Uma audiência de conciliação está marcada para as 14h30min desta terça-feira (10) na Justiça Federal de Chapecó para tratar sobre a ocupação da reitoria da UFFS, que completou 10 dias nesta segunda-feira (9). A audiência foi marcada após um pedido de reintegração de posse encaminhado pela equipe de transição, com o aval do novo reitor, Marcelo Recktenvald.

Enquanto isso, o reitor e o vice, Gismael Perin, estão despachando na sede da Advocacia Geral da União (AGU), em Chapecó. Nesta segunda-feira, o reitor também visitou a pró-reitoria de pesquisa e pós-graduação, no campus Chapecó.

Os estudantes que ocupam a reitoria são contra a nomeação do reitor e vice, que ficaram em terceiro lugar na consulta pública realizada no primeiro semestre, com 21% dos votos. Eles queriam a nomeação do primeiro colocado, o professor Anderson Ribeiro, que era diretor do campus de Erechim, no Rio Grande do Sul. Eles consideram a nomeação antidemocrática e chamam o novo reitor de interventor.

Recktenvald considera que a nomeação é legítima porque a consulta era para a escolha de uma lista tríplice, que foi encaminhada para definição do presidente da República, Jair Bolsonaro.
O Ministério Público Federal (MPF) manifestou-se contrário a uma reintegração forçada, sugerindo o diálogo, desde que não ocorra abusos.

A UFFS tem cerca de 8 mil alunos em seis campi: Erechim-RS, Cerro Largo-RS, Passo Fundo-RS, Realeza-PR, Laranjeiras do Sul-PR e Chapecó. A reitoria fica no município do Oeste catarinense, onde estudam 3,2 mil alunos. O mandato é para quatro anos.