ESTADO

  • 10/09/2019 (16:07:28)

  • Correio do Povo

FEMINICÍDIO

Proporção de casos de feminicídio no RS cresce 10 vezes mais que a média nacional

Uma em cada dez mulheres mortas por conta do gênero no Brasil foi assassinada no Estado


A quantidade de feminicídios no Rio Grande do Sul aumentou dez vezes mais do que a média nacional, de acordo com dados do Anuário de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira. Enquanto, em nível nacional, o índice do crime avançou 4% de 2017 para 2018, no RS cresceu 40,5% no mesmo período. 

Sozinho, o Rio Grande do Sul teve quase 10% dos casos totais do país. Em números absolutos, o Estado ficou apenas atrás apenas de Minas Gerais (156 ocorrências) e São Paulo (136), cujas populações são praticamente o dobro e o quádruplo que a do RS, respectivamente, segundo o IBGE. 

Houve 117 feminicídios no Rio Grande do Sul em 2018, ante a 83 no ano anterior. A quantidade de casos no ano passado é o recorde da série histórica, iniciada em 2012, da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP). Desde então, em apenas dois anos houve mais de 100 registros no ano. 

Perfil das vítimas 

O Fórum Brasileiro de Segurança Pública compilou o perfil das vítimas no Brasil entre 2017 e 2018. Seis em cada dez são negras e a maioria (65,6%) foi morta em casa. Em 88,8% das ocorrências, o companheiro ou o ex foi o autor do crime. 

A maioria das vítimas tinha entre 30 e 34 anos, sendo 30 anos a idade mais letal. E sete em cada dez mulheres assassinadas (70,7%) por feminicídio no Brasil tinham até o ensino fundamental. Neste quesito, quanto maior a escolaridade, menor a proporção dentre as vítimas – 21,9% das das vítimas tinham ensino médio e 7,3%, ensino superior.