CIDADE

  • 13/09/2019 (18:21:30)

  • Repórter: Da Redação

  • Fotógrafo: Julio Mocellin

IFRS EM BUSCA BI NO RIO DE JANEIRO

Drop Team no Shell Eco-marathon Brasil

Estudantes erechinenses vão em busca do bi-campeonato brasileiro de eficiência energética e a classificação para o Shell Eco-marathon Americas 2020, nos EUA.

Começa nesta segunda-feira(16), a quarta edição Shell Eco-marathon Brasil. A competição de eficiência energética receberá jovens de todo o Brasil e da América Latina nas categorias Etanol, Gasolina e Bateria Elétrica, disponíveis para as classes de veículo Protótipo e Conceito Urbano. A maratona ocorrerá nos Armazéns 2 e 3 do Pier Mauá, no Centro do Rio de Janeiro, até a próxima quinta-feira. 

A equipe Drop Team, do IFRS-Campus Erechim já fechou as malas e carregou o Albatroz, nome do protótipo repaginado e com nova injeção, que vai competir na modalidade gasolina. A máquina bateu novo recorde de quilometragem nos testes em Erechim, numeros bem superiores ao que foi alcançado nos Estados Unidos. Os nove estudantes do curso de Engenharia Mecânica e dois professores chega ao Rio de Janeiro na manha deste domingo na busca do bi-campeonato na categoria protótipo a gasolina. Esse ano a Drop Tean representou o Brasil no Shell Eco-marathon Americas, nos Estados Unidos. 

A viagem do grupo de estudantes do IFRS-Campus Erechim é feita com apoio da prefeitura e de patrocinadores. Cada integrante do grupo paga as próprias despesas de estadia e alimentação.   Os vencedores da etapa brasileira garantem participação na Shell Eco-marathon Americas 2020, maior competição de eficiência energética do mundo e que ocorre anualmente nos Estados Unidos.

A equipe vai em busca do bi-campeonato e estará representada por nove estudantes do curso de Engenharia Mecânica e dois professores. A preparação para competição começou em abril, quando retornaram da competição ocorrida nos Estados Unidos.

O capitão da equipe, Jean Radeski, fez a apresentação do Albatroz para o AU.  Ele lembra que o Albatroz, além da nova central de injeção eletrônica, ganhou carenagem em fibra e um novo layout. O grupo comprou nos EUA uma nova embreagem, mas não teve tempo hábil de instalar no Albatroz para a competição no Rio de Janeiro. Na mesma entrevista em que Jean apresenta o Albatroz, o professor Airton Bortoluzzi fala que o projeto sofreu uma grande evolução em relação ao desenvolvido para a competição nos Estados Unidos.