ECONOMIA

  • 19/09/2019 (19:09:20)

  • Repórter: Gazeta do Povo

SOCIALISTAS GANHAM PRÊMIO MILIONÁRIO

"Milionários do PT” prometem ficar no emprego, mas farão socialismo com o prêmio?

Vão sim. Copeiras e faxineiras que não participaram do bolão, também vão ganhar. Para pelo menos dois apostadores, prêmio deve ser pago em dobro.

Os cerca de 50 funcionários do gabinete da liderança do Partido dos Trabalhadores (PT) na Câmara Federal que descobriram, nessa quarta, ter dividido o prêmio de R$ 120 milhões da Mega-Sena, foram trabalhar, nesta quinta. Eles choraram, se abraçaram e fizeram promessas, conforme apurou o portal R7.

Entre os cerca de 50 novos ricos, há faxineira, motorista, seguranças e copeiros, além de dois jornalistas, que apostaram no bolão vencedor. Não há políticos no grupo, como explica o deputado federal gaúcho Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara.

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) postou no Twitter que os assessores do partido que ganharam na Mega-Sena de ontem vão compartilhar o prêmio com quatro copeiras. Segundo ele, as funcionárias costumavam participar dos bolões, mas desta vez tinham ficado de fora.

Prêmio dobrado para pelo menos dois  
O rateio dividiu a aposta premiada em 49 cotas (aproximadamente R$ 2,5 milhões para cada), uma delas foi comprada por duas pessoas, e outra, por três. Há também a informação de que pelo menos dois apostadores ficaram com mais de uma parte e vão, portanto, ganhar o dobro dos demais.

“Casinha” fora do plano piloto 
Um dos casos que mais emocionou os funcionários hoje foi o de uma servidora humilde que mora de aluguel em uma cidade satélite de Brasília e demora horas todo dia para chegar ao Congresso. Talvez por não ter noção do volume que vai receber, ela fazia planos para comprar uma “casinha” em uma outra região também humilde, longe do plano piloto de Brasília.

O prêmio dos petistas é o terceiro maior do ano e um dos 20 maiores da história. O maior foi sorteado em maio, para um sortudo que apostou pela internet e levou R$ 289 milhões.

Os contemplados são, em maioria, naturais de Brasília e falaram aos amigos de gabinete que querem continuar trabalhando. Em outras palavras, pelo menos nos próximos dias, não há vaga de emprego sobrando na liderança do PT na Câmara.