ECONOMIA

  • 25/09/2019 (21:47:25)

​ DADOS DO CAGED/AGOSTO

RS é um dos dois Estados com mais demissões do que contratações

É o sexto ano consecutivo com resultado negativo neste mês no Estado. Em Erechim o mês de agosto fechou com saldo positivo de 188 empregos. Santa Catarina fechou com saldo de 6,5 mil empregos.

A construção civil foi destaque em agosto, com 144 vagas criadas. A indústria criou 23 empregos e setor de serviços 49. Já os setor que mais demitiu no mês foi o comércio, 27 desligamentos. Depois, vem o setor agrícola com duas dispensas.

O Rio Grande do Sul perdeu 1.988 postos de trabalho com carteira assinada no mês de agosto, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia. Ao lado de Sergipe, é um dos dois Estados com mais demissões do que contratações no Brasil, que teve expansão de vagas no mês.

É o sexto ano consecutivo com resultado negativo no mês de agosto no Rio Grande do Sul. A Indústria de Transformação teve o pior resultado, com perda de 4.523 postos de trabalho no mercado formal —foram contratadas 19.916 pessoas e demitidas 24.439.

Em números absolutos, o setor de serviços foi o que mais contratou (2.766), seguido do comércio (182) e do setor de serviços industriais de utilidade pública  (71). Os demais setores demitiram mais do que contrataram. O líder em demissões foi a indústria de transformação (-4.523), seguida da construção civil (-322) e do setor agropecuário (-141).

Municípios
Dos 71 municípios gaúchos pesquisados, os piores saldos de trabalho com carteira assinada em agosto, em relação ao estoque de empregos do mês anterior, foram de Venâncio Aires (-8,81%), Santa Cruz do Sul (-5,05%) e Vacaria (-2,28%). Já os melhores foram Soledade (2,99%), Rio Pardo (1,26%) e Taquara (1,03%). Em Porto Alegre, foram criados em agosto 766 postos de trabalho formal, aumento de 0,14%.