AGRICULTURA

  • 06/10/2019 (21:17:44)

  • GZH

COLHEITA DE TRIGO

Colheita do trigo no RS é aberta com otimismo pelas boas condições climáticas

Estima-se uma safra ao redor de 2,2 milhões de toneladas no Estado

Ato simbólico foi realizado no sábado em Cruz Alta, no noroeste do Estado - Kellory Moraes Fotogafias / Divulgação


Nem a chuva no sábado (5), na hora da cerimônia de abertura oficial da colheita de trigo no Rio Grande do Sul, em Cruz Alta, interferiu no ânimo em torno da safra deste ano. O otimismo deve-se ao bom desenvolvimento das lavouras, até agora, beneficiadas pelas condições climáticas.

– Claro que em se tratando de trigo só teremos alguma certeza no momento da colheita e da venda – pondera Moacir Medeiros, presidente da Fenatrigo, entidade que promoveu o ato simbólico em conjunto com o Sindicato Rural de Cruz Alta e a Universidade de Cruz Alta (Unicruz). 

Com mais de 60% das lavouras gaúchas em fase de enchimento de grãos, a expectativa é de que o tempo colabore em outubro – com baixos volumes de precipitação.

– Esse período final é crucial para a cultura, muito sensível ao excesso de umidade – explica Medeiros.

Até o momento, a estimativa é de rendimento médio ao redor de 3 mil quilos por hectare – o equivalente a 50 sacas por hectare. Com 754 mil hectares cultivados no Estado, a projeção do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é uma safra de 2,28 milhões de toneladas – aumento de 30% em relação à colheita passada. 

A preocupação no momento é em relação à comercialização do produto. Por enquanto, as vendas antecipadas do cereal no Estado estão em ritmo inferior ao ano passado.

– O preço está um pouco mais alto,  o que cria uma expectativa ao produtor de retorno da atividade – destaca Covatti Filho, secretário estadual da Agricultura.

Presente no evento, Covatti Filho falou sobre o fortalecimento da Câmara Setorial do Trigo, a fim de buscar ações para incentivar as culturas de inverno.