SAÚDE

  • 11/10/2019 (21:51:13)

  • MBL

CONQUISTA

Médicos brasileiros desenvolvem método pioneiro e curam homem com câncer terminal

Brasileiro de 62 anos apresenta remissão da doença após ser submetido a tratamento em fase experimental.


Nesta sexta-feira (11/10), o Brasil recebeu uma ótima notícia: Vamberto Luiz de Castro, de 62 anos, que estava em estado grave com linfoma avançado que não respondia a nenhum dos tratamentos convencionais, apresentou uma regressão da doença após ter sido submetido a um procedimento desenvolvido por médicos brasileiros.

O funcionário público aposentado de Minas Gerais é a primeira pessoa na América Latina a receber uma nova terapia celular que vem revolucionando o tratamento do câncer nos Estados Unidos e na Europa. Castro foi submetido em caráter experimental à terapia, no dia 9 de setembro; em menos de 20 dias ele já apresentou uma melhora substancial.

A terapia genética foi inteiramente desenvolvida no Brasil, no Centro de Terapia Celular (CTC-Fapesp-USP) do Hemocentro, ligado ao Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. Com isso, o País se torna um dos poucos do mundo a dispor da tecnologia. A expectativa agora é de que o tratamento seja testado ao longo dos próximos seis meses em pelo menos outros dez pacientes e, no futuro, esteja disponível gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

Enquanto isso, Castro desfruta da nova vida após s está prevista para este fim de semana. “Os gânglios no pescoço do paciente desapareceram, ele parou de tomar morfina para dor, ganhou três quilos, voltou a andar”, contou o hematologista Renato Cunha, diretor do Centro de Transplante de Medula do Hemocentro de Ribeirão Preto, um dos responsáveis pela experiência. “Temos todos os sinais de que o organismo respondeu; ou seja, conseguimos provar o conceito e mostrar que funciona muito bem.”