POLÍTICA

  • 25/12/2012 (23:11:00)

Divergências

A palavra \"Amor\" deve ser incluída na bandeira nacional?

Uns querem a correção de um erro histórico e outros falam em demagogia

Uns querem a correção de um erro histórico e outros falam em demagogia. Os senadores têm opiniões diferentes sobre a inclusão da palavra "amor" na bandeira nacional. Um projeto da Câmara dos Deputados propõe a mudança. Na opinião do senador Eduardo Suplicy, do PT de São Paulo, a palavra "amor" deve sim ser incluida. O senador foi ao plenário do Senado defender o projeto do deputado Chico Alencar, do Psol do Rio de Janeiro. A proposta pede para que a expressão "ordem e progresso" , inscrita na bandeira brasileira, seja alterada com a inclusão do substantivo, ficando assim: "amor, ordem e progresso". Desta forma a expressão na bandeira ficaria fiel ao lema positivista do filósofo Auguste Comte, "o amor por princípio, a ordem por base e o progresso por fim", que inspirou os autores da Bandeira Nacional. Na opinião do senador paulista, a inclusão da palavra amor na bandeira nacional vai corrigir um erro histórico. (Eduardo Suplicy) "os autores não foram felizes ao retirar do lema a sua palavra mais importante, que seria "amor". Isso apequenou a Bandeira Nacional, de modo que nós a consideramos, de certa forma, incompleta. Só agora, no século XXI, é que podemos ter uma idéia melhor da importância dessa palavra como catalisadora de misericórdia, de caridade, de solidariedade entre as pessoas". O senador Pedro Taques, do PDT de Mato Grosso, acha a bandeira deve ficar como está ou o país poderá virar chacota internacional. O senador Cristovam Buarque, do PDT do Distrito Federal, lembrou que o Brasil não venceu o analfabetismo que persiste na sociedade brasileira desde a época da proclamação da república e da escolha da bandeira nacional em 1889. Por isso ele sugeriu que a palavra “educação” seja incluída na bandeira. O senador propõe mudar Ordem e Progresso por Educação é Progresso".