ECONOMIA

  • 14/11/2019 (09:15:39)

  • Repórter: Gabriel Nunes/Rádio Uirapuru

PARADOS HÁ 52 DIAS

Servidores do judiciário decidem hoje sobre o fim da greve

Servidores do judiciário em Erechim


Os servidores do Judiciário se reúnem hoje (14) em assembleia, às 10h, em Porto Alegre, para discutir os avanços das negociações com a presidência do Tribunal de Justiça e o possível fim da greve, após 52 dias de paralisação.

Foram 3 reuniões para negociações desde a semana passada com o TJ. O principal avanço foi a criação de um grupo permanente de estudos que vai encaminhar o plano de valorização para todos os cargos dos servidores do judiciário com representantes da administração do Tribunal de Justiça, do Sindijus, da Associação dos Servidores da Justiça, ASJ e da Associação dos Oficiais de Justiça do Rio Grande do Sul, Abogeris.

A oficial escrevente do Fórum de Passo Fundo, Catia Machado, ao ser ouvida pela Rádio Uirapuru, disse que a categoria considera a criação do grupo de trabalho como a segunda grande vitória. A primeira foi a rejeição do Projeto de Lei 93/2017, na Assembleia Legislativa, que extinguiria 5 mil cargos de Oficiais Escreventes.

Catia também destacou outros avanços como a equiparação do vale-refeição, de todas as categorias, a dos magistrados, bem como o auxílio condução dos Oficiais de Justiça indexado a URC (Unidade Real de Custo) que recebe atualização mensal, não corrigido mediante reajuste salarial dos servidores.
A presidência do Tribunal de Justiça vai encaminhar o pedido dos servidores ao pleno para ser votado, depois disso o projeto pode ser encaminhado à Assembleia Legislativa para votação dos deputados, provavelmente ano que vem.

Ainda segundo Cátia, a presidência do TJ se mostrou sensível as Ações Diretas de Inconstitucionalidade que tramitam no Supremo Tribunal Federal que, se forem aprovadas, retiram quase 20% dos salários dos servidores do judiciário do Estado do Rio Grande do Sul. As ações foram propostas pelos dois governos anteriores a Eduardo