ESPORTES

  • 28/11/2019 (23:05:13)

  • CP

  • Fotógrafo: Reprodução Inter

SAÍDA DE MELO

Em coletiva, Medeiros afirma que saída de Melo ocorreu por motivos pessoais

Presidente do Inter afirmou que pedido de demissão do vice de futebol não influencia no planejamento para 2020


O presidente do Inter, Marcelo Medeiros, concedeu entrevista coletiva nesta quinta-feira, para explicar os motivos que levaram o vice de futebol, Roberto Melo, a pedir a saída do cargo. O momento ruim, acentuado pela derrota e má atuação em casa para o Goiás por 2 a 1 na noite dessa quarta-feira, culminou com a decisão.

O presidente Marcelo Medeiros entrou praticamente no horário programado, às 16h30min, para a entrevista coletiva. Com um semblante abatido, mas ainda assim demonstrando calma nas respostas, falou por pouco mais de 15 minutos sobre o pedido de desligamento feito por Roberto Melo.

Respondeu às perguntas com serenidade, e só fugiu do questionamento ao ser perguntado sobre um possível arrependimento no que dizia respeito à demissão de Odair Hellmann, após a derrota para o CSA, em Alagoas. "Não existe isso", resumiu.

Elogios a Melo

Em primeiro lugar, Medeiros agradeceu os serviços prestados ao longo de mais de três anos pelo agora ex-vice de futebol, e o empenho no "momento mais difícil da história do Inter", e destacou dificuldades naturais do cargo. "É extremamente difícil e desgastante. Disputamos uma final de Copa do Brasil, e infelizmente entramos em um processo de não conseguir manter o mesmo desempenho. A pressão aumentou, ele estava muito chateado e tomou essa decisão", explicou.

Medeiros assegurou que não houve influência externa nem de pressão da torcida na decisão de saída de Melo, ao frisar que a decisão foi exclusiva do dirigente, e disse não temer que esses fatores interfiram nas tomadas de decisões dentro do clube. "Quem não está preparado para isso não pode sentar aqui. A torcida tem direito de se manifestar, mas temos que saber conduzir o clube", assegurou.

Resignação em caso de Sul-Americana

Medeiros minimizou uma possível ausência na Libertadores do ano que vem, e afirmou não ver problema em uma eventual disputa de Sul-Americana. “Meu primeiro ano de mandato foi a Série B. Não tenho medo de nada”, garantiu.

Além da saída de Roberto Melo, Adauri Silveira deixou o posto no departamento de futebol do Inter. Rodrigo Caetano deve acumular as funções no futebol até o fim do ano, para os próximos três compromissos que o Colorado tem antes de 2020.

O Inter volta a campo contra o Botafogo, no sábado, às 19h, no Engenhão, em jogo válido pela 36ª rodada da competição. O Colorado é 8º colocado, com 51 pontos.