ECONOMIA

  • 04/05/2014 (17:35:40)

  • Da Redação

  • Repórter: Fonte: InfoMoney

  • Fotógrafo: Divulgação

DEMISSÕES?DEMISSÕES NO BRASIL

Dívidas, inadimplência e demissões pode gerar "bolha automobilística"

Embora muito se tenha falado da existência de uma bolha imobiliária no Brasil, um dos perigos verdadeiros que a economia pode sofrer é na verdade, uma bolha automobilística. Muito menos nociva que a sua prima, a bolha dos carros já começa a se desenhar no Brasil, com uma desaceleração do mercado que já faz as principais montadores dispensarem milhares de trabalhadores.

Além disso, alguns indicadores começam a preocupar: o estoque das montadoras já é de 48 dias, contra 30 dias usuais. O crédito para a compra de automóveis também recuou, mas não por decisão dos bancos - já que a inadimplência está em queda, depois de bater recordes nos últimos anos. No mercado atual, não parece faltar oferta. Falta demanda.

"Nesses últimos anos em que o crédito ao consumo ficou mais acessível, o carro foi um dos 'campeões' do endividamento, em parte pela nossa necessidade de status, em parte pela precariedade do transporte público na maioria das cidades brasileiras", afirma André Massaro, educador financeiro e participante do programa TopMoney. Esse modelo, porém, está próximo do final e já mostra sinais de exaustão tão grandes que começa a implodir a própria indústria do automóvel.

Ele lembra que o brasileiro costuma ter uma relação bastante afetiva com o carro. "Durante muito tempo fomos educados a tratar carro como se fosse um 'investimento', uma reserva de valor, e não um bem de consumo", salienta. Mas o carro é absolutamente perecível: só de tirar da concessionária que um carro novo perde 30% do valor. Além disso, com o uso vem problemas mecânicos que tiram valor do automóvel.

InfoMoney