POLÍTICA

  • 16/02/2013 (09:49:00)

A FORÇA DA INTERNET

Calheiros considera “lícito e saudável” abaixo-assinado que pede sua saída

“Lícito e saudável

“Lícito e saudável.” Desta forma o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), definiu o abaixo-assinado online que pede a sua saída do comando do Congresso Nacional. O senador divulgou no fim da tarde desta sexta-feira uma nota oficial sobre a petição online, que até o começo da noite, já havia sido assinada por mais de 1,5 milhões de internautas. 

Para Calheiros, a manifestação na internet “indica que a sociedade quer um Congresso mais ágil e preocupado com os problemas dos cidadãos”. Ele minimizou o número de assinaturas colhidas em 15 dias, desde que se elegeu. O total de assinaturas até a noite desta sexta representa quase a metade da população do seu estado – a população de Alagoas é de 3,1 milhões de habitantes, segundo o Censo de 2010 – e é próximo o dobro de votos do que recebeu na eleição de 2010, 840.809. “O número de assinaturas não é tão importante.”

Leia a nota oficial, divulgada pela Agência Senado 

"A mobilização na Internet é lícita e saudável, principalmente, entre os jovens. Fui líder estudantil, todos sabem, e também usei as ferramentas da época para pressionar. O número de assinaturas não é tão importante quanto a mensagem, o que importa é saber que a sociedade quer um Congresso mais ágil e preocupado com os problemas dos cidadãos. E assim o será.

O Congresso Nacional vai trabalhar para garantir o maior desenvolvimento do Brasil. Vou conversar na segunda-feira com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, para que possamos colocar em votação as matérias necessárias ao crescimento do país, de forma sustentável e duradoura.

Temos que tornar o Brasil mais fácil, fazer a reforma tributária, política, propor medidas de combate à criminalidade, enfrentar a questão dos vetos.

Do ponto de vista administrativo, teremos no Senado uma gestão austera, com corte de gastos, transparência e o fim da redundância de estruturas.

Vamos convidar o ministro da Fazenda, Guido Mantega, e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, para avaliar como, juntos, poderemos ajudar a economia do país, ajudar na geração de empregos e renda e afastar o fantasma da inflação.

Nas últimas décadas, o Brasil avançou bastante nos conceitos modernos, ganhamos prestígio internacional. E o Congresso Nacional teve papel decisivo nesse processo. Não podemos recuar no tempo e abrir mão dos avanços conquistados.

Renan Calheiros


       

Presidente do Senado Federal"