Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Foto: Reprodução/Niaid
Saúde
Novo lote de vacinas contra o coronavírus chega nesta quarta-feira ao Rio Grande do Sul
Desta vez será a de Oxford/AstraZeneca.
Rádio Guaíba
por  Rádio Guaíba
24/02/2021 11:05 – atualizado há 55 segundos
Continua depois da publicidadePublicidade

O Rio Grande do Sul recebe, no final da manhã desta quarta-feira (24), mais 135 mil doses de vacinas Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19. Segundo a Secretaria Estadual da Saúde (SES), a remessa chega ao Estado em um avião da Azul, que decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, em direção ao Aeroporto Salgado Filho, de Porto Alegre.

 Esta é a segunda carga de doses rotuladas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) a chegar em solo gaúcho, e faz parte de um lote de 2 milhões de vacinas enviadas ao Brasil pelo Instituto Serum, da Índia, na última segunda-feira.

Com a novidade, chega a 839,4 mil o número de vacinas recebidas pelo Rio Grande do Sul. A SES informou que a carga, encaminhada diretamente à Central Estadual de Distribuição e Armazenamento de Imunobiológicos (Ceadi), será distribuída aos municípios gaúchos acontecerá entre a quinta (25) e a sexta-feira (26).

Desde o dia 18 de janeiro, o Ministério da Saúde enviou cinco remessas aos estados, sendo três de CoronaVac e duas de Oxford/AstraZeneca. Ao menos 79% das doses em circulação no Rio Grande do Sul – ou 588,4 mil ampolas – são da fórmula distribuída pelo Instituto Butantan. Outras 251 mil são assinadas pela Fiocruz, contando com o lote que chega hoje.

Estoque de vacinas já esgotaram em 46 cidades gaúchas

A demora na chegada de imunizantes foi lamentada pela secretária de Saúde, Arita Bergmann, em entrevista à Rádio Guaíba nessa terça-feira (23). A gestora criticou o fato de o Governo Federal não ter cumprido a promessa de entregar, pelo menos, 11 milhões de doses em fevereiro – reduzindo o contingente em comparação a janeiro.

Essa lentidão fez com que pelo menos 46 municípios gaúchos esgotassem o estoque disponível, tendo de interromper a campanha de vacinação. “A velocidade da Covid é assustadora, mas as vacinas estão vindo de forma ainda insuficiente para podermos atingir, minimamente, os grupos prioritários”, disse Arita.

De acordo com o monitoramento da SES, o número de cidades sem vacinas aumentou 30% entre o sábado (20) e a terça-feira (23). No período, entraram na lista Bossoroca, Caibaté, Candelária, Canudos do Vale, Caseiros, Cruzaltense, Derrubadas, Garruchos, General Câmara, Getúlio Vargas, Júlio de Castilhos e Mariano Moro.

Dependem de novas remessas, ainda, as prefeituras de Nova Ramada, Novo Cabrais, Panambi, Pinhal, Rosário do Sul, Segredo, Tio Hugo, Tupanci do Sul e Vila Lângaro. Até o momento, 425,5 mil moradores do Rio Grande do Sul já receberam a primeira dose contra a Covid-19, enquanto 50,7 mil completaram o programa com as duas doses previstas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
você pode gostar...