Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Esporte
Por decisão do STJD, Grêmio atuará sem torcida no Brasileirão
A medida vale até o julgamento da invasão de torcedores do Grêmio no gramado da Arena, que ainda não tem data definida.
Correio do Povo
por  Correio do Povo
03/11/2021 18:22 – atualizado há 9 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Futebol deferiu, na tarde desta quarta-feira, a liminar da Procuradoria da Justiça Desportiva para que o Grêmio mantenha os seus portões fechados nos jogos como mandante e não tenha torcida gremista nas partidas que for visitante.

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

A medida vale até o julgamento da invasão de torcedores do Grêmio no gramado da Arena, na partida que ocorreu no dia 31 de outubro, quando o Tricolor sofreu a derrota de 3 a 1 para o Palmeiras. Os gremistas conseguiram acessar o campo e entraram no túnel do vestiário sendo contidos pela Brigada Militar. Na ação, os invasores partiram para cima da cabine do VAR, desmontando o equipamento e atirando a tela da TV no chão.

O presidente do STJD, Otávio Noronha, afirmou ser adequado o pedido da Procuradoria e estarem presentes os elementos necessários para a concessão da liminar. Ainda não há data para julgamento do processo em primeira instância e nem da Medida no Pleno.

No caso da partida desta quarta-feira, diante do Atlético-MG, em Minas Gerais, não há efeito, já que a capital mineira não permite torcida visitante por conta dos protocolos. No entanto, o impacto direto ocorrerá no clássico Gre-Nal, marcado para o próximo sábado, no estádio Beira-Rio.

Outro denunciado pelo STJD na tarde dessa segunda-feira (01) foi o jogador  Rafinha. Ele teve seu nome constatado em súmula por proferir ofensas à arbitragem. O jogador pode pegar um gancho de quatro a seis partidas de suspensão. Conforme consta no artigo 243, ofender alguém em sua honra prevê suspensão de uma a seis partidas. Por ter desrespeitado diretamente a autoridade máxima da partida, a penalização se torna maior. Além da punição, o artigo prevê uma multa de R$100 a R$100 mil. Além disso, existe a possibilidade do atleta ser punido por outro artigo, o que mudaria a sua pena.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE