Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Economia
Estado anuncia pagamento de dívidas da saúde com os municípios
Acordo firmado com o aval da FAMURS, estipula que 20% do valor de cada município seja destinado para a realização de cirurgias e exames represados.
Ascom Prefeitura de Erechim
por  Ascom Prefeitura de Erechim
02/12/2021 09:20 – atualizado há 9 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

O diretor da Fundação Hospitalar Santa Terezinha de Erechim (FHSTE), Jackson Arpini, a convite do governador do Estado, Eduardo Leite, e da secretária de Saúde do RS, Arita Bergmann, participou do ato de anúncio do pagamento da dívida aos municípios, correspondente aos anos de 2014 a 2018, e do lançamento do programa Cirurgia +.

O ato ocorreu nesta quarta-feira (1), no Salão Negrinho do Pastoreio, no Palácio Piratini, em Porto Alegre e contou a presença de lideranças estaduais e municipais.

Na ocasião, o governador anunciou o pagamento dos valores atrasados e devidos aos municípios e que não foram empenhados na época, na ordem de R$ 432 milhões, numa interlocução do Estado com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (FAMURS).

Também, o chefe do Executivo do RS anunciou que o Estado vai aportar R$ 85 milhões, do Tesouro Estadual, para realização de procedimentos cirúrgicos e exames represados, no intuito de dar agilidade ao processo e atender as expectativas e anseios da população.

Além disso, foram apresentados alguns itens relacionados ao lançamento que será disciplinado mediante publicação de portaria, fato que deve ocorrer em breve.

Foi explanado que o acordo firmado com o aval da FAMURS, estipula que 20% do valor de cada município seja destinado para a realização de cirurgias e exames represados, o que resultará num montante de R$ 171,4 milhões, sendo R$ 85 milhões do ente estadual e R$ 86,4 dos municípios que aderirem ao programa.

Para Arpini, não resta dúvida que a ação prioritária nesse momento, além de manter as ações e serviços de saúde em pleno funcionamento em virtude do retorno da normalidade dos fluxos, é atuar nos mutirões de cirurgias para minimizar e reduzir as filas de espera. "As ações do Estado e da nossa região convergem na mesma direção", pontua o diretor.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE