Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde

Vacina contra a dengue deve chegar ao Rio Grande do Sul nesta terça-feira

Seis cidades receberão os imunizantes: Porto Alegre, Viamão, Alvorada, Gravataí, Cachoeirinha e Glorinha.

O Sul
por  O Sul
29/04/2024 20:19 – atualizado há 1 minuto
Continua depois da publicidadePublicidade

Técnicos do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) do governo gaúcho participaram na manhã desta segunda-feira (29) de uma reunião com representantes do Programa Nacional de Imunizações (PNI) para planejamento da ação de vacinação contra dengue nos municípios contemplados no Rio Grande do Sul. A quantidade de doses da primeira remessa, de um total de 126 mil, ainda será oficializada, mas a entrega dela à Secretaria da Saúde (SES) deve ocorrer na terça-feira (30).

Também foi esclarecido pelo Ministério da Saúde (MS) que o envio das vacinas será feito de forma escalonada.

A definição do MS quanto às cidades e ao público prioritário para a vacinação será mantida: crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos. Conforme a Nota Técnica divulgada na última semana, seis cidades receberão os imunizantes: Porto Alegre, Viamão, Alvorada, Gravataí, Cachoeirinha e Glorinha.

Na reunião, os representantes do Ministério explicaram que o critério para a definição dos municípios levou em conta o histórico de casos de dengue entre 2013 a 2022, visto que a estratégia foi definida antes do final do ano passado. As 126 mil doses representa a população estimada, nos seis municípios, que pertencem à faixa etária definida.

A nota informa o seguinte: “Considerando as dimensões continentais do Brasil, a heterogeneidade de transmissão em cada região, e o limitado quantitativo de doses da vacina disponíveis para 2024, foram selecionados municípios de grande porte (população maior ou igual a 100 mil habitantes) com alta transmissão de dengue nos últimos dez anos, incluindo os demais municípios das suas regiões de saúde de abrangência, independentemente do porte populacional, ordenados pela predominância do sorotipo DENV-2 (reemergência recente) e pelo maior número de casos no monitoramento 2023/2024 (Semana Epidemiológica 27 de 2023 Até a Semana 2 de 2024)”.

Com base nesses critérios, a cidade de Glorinha acabou sendo incluída. Mesmo com população abaixo de 100 mil habitantes, ela foi selecionada por fazer parte da mesma região de saúde de outros municípios com população superior e com maior incidência da dengue no período. O ranqueamento dos municípios, contudo, não foi divulgado para os Estados pelo MS.

Disponibilização das vacinas

As primeiras doses da vacina, cujo nome comercial é Qdenga, serão disponibilizadas para a retirada dos municípios na Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadi).

Todo o quantitativo será destinado para aplicação da primeira dose no público prioritário. O quantitativo que será enviado para a segunda dose do esquema vacinal, aplicada após três meses, dependerá do número de primeiras doses registrado no sistema do PNI.

Grupo prioritário

Pela definição do Ministério da Saúde, serão vacinadas as crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, faixa etária que concentra maior número de hospitalização por dengue nacionalmente nos últimos anos: 16,4 mil de janeiro de 2019 a novembro de 2023.

A vacina do fabricante japonês não é autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para pessoas acima dos 60 anos, público que no Rio Grande do Sul concentra o maior número de óbitos.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE