Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
coronavirus
China confirma 106 mortes por coronavírus,100 apenas na província de Hubei
Cem mortes aconteceram na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan. Homem de 50 anos foi a primeira pessoa a morrer em Pequim, nesta segunda-feira.
G1
por  G1
28/01/2020 10:48 – atualizado há 1 minuto
Continua depois da publicidadePublicidade

A China confirmou nesta terça-feira (28) que chegou a 106 o número de mortes pelo novo coronavírus, sendo 100 apenas na província de Hubei, onde fica a cidade de Wuhan, cidade considerada como epicentro da doença. Já há 4.515 infectados.

Equipe médica transporta paciente em hospital da Cruz Vemelha, em Wuhan, na China — Foto: Hector Retamal/AFP

Nesta segunda-feira (27), também foi confirmada a primeira morte por complicações respiratórias causadas por coronavírus em Pequim. Segundo a rede estatal CCTV, a vítima é um homem de 50 anos diagnosticado com a doença na quarta-feira (22) após viagem para Wuhan.

Em uma tentativa de conter a propagação da doença, o governo chinês suspendeu as comemorações do Ano Novo Lunar e estendeu o feriado até o dia 2 de fevereiro. Grandes empresas fecharam as portas ou disseram aos funcionários para trabalhar de casa.

Fronteira fechada

No cenário internacional, a Mongólia foi o primeiro país a fechar as fronteiras terrestres com a China, enquanto a Malásia tem proibido as pessoas da província chinesa de Hubei, a mais afetada, de viajarem ao país. Já a Alemanha e a Turquia desaconselham seus cidadãos de viajarem para território chinês.

Hong Kong anunciou que suspenderá a partir de quinta-feira (30) linhas férreas utilizadas por trem de alta velocidade. Os serviços de balsas e ônibus e o transporte aéreo também serão reduzidos entre o território semiautônomo e a China continental, segundo a BBC.

O premiê chinês, Li Keqiang, visitou a cidade de Wuhan, o epicentro do surto, para sinalizar que está respondendo seriamente ao surto. O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, anunciou que está a caminho de Pequim para "estreitar a colaboração" com a China.

A OMS passou a classificar como "elevado" o risco internacional de contaminação pelo coronavírus. O novo status, divulgado nesta segunda, é uma correção na avaliação feita anteriormente pela própria OMS. A organização esclareceu que, por um "erro de formulação", havia apontado o risco como "moderado".

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE