Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde
CUIDADOS ANTES DO EMBARQUE | Afinal, grávidas podem ou não viajar de avião? Confira dicas e restrições
Exigências variam conforme a companhia aérea; há mais restrições no caso de gestação de gêmeos
Redação
por  Redação
09/12/2019 16:49 – atualizado há 1 mês
Continua depois da publicidadePublicidade

Arquivo pessoal / Fabián Hermosilla


O nascimento de Trinidad Ignácia Hernandez, que provocou o pouso em razão de emergência médica de um voo da Gol em Porto Alegre, na madrugada desta segunda-feira (9), chama a atenção para as orientações que as gestantes devem seguir no caso de viagens aéreas.

Daniela Nicole Hernandez, 30 anos, que estaria na 37ª semana de gravidez, com parto previsto para o dia 20, começou a ter contrações na viagem entre Rio de Janeiro e Santiago, no Chile. Não deu tempo de aterrissar: o bebê nasceu antes do pouso, com o auxílio de dois médicos e de uma enfermeira presentes a bordo

A gestação sempre gera alguma polêmica na hora em que a futura mamãe resolve sair do ninho para cruzar fronteiras. Afinal: grávida pode viajar de avião? Para ajudar e acalmar as futuras mamães, trazemos algumas respostas e dicas sobre o assunto.



Segundo indicação médica, o período em que a grávida pode viajar de avião com mais tranquilidade é entre o terceiro e o sétimo mês da gestação. Isso, claro, mediante as condições de saúde de cada mulher. Se tiver complicações como diabetes, pressão alta, sangramento vaginal, entre outros, é melhor aguardar a recomendação da obstetra. Consulte também as reações adversas que poderia ter ao longo do voo.

Cada companhia aérea tem suas recomendações e restrições em relação ao tema. Geralmente, permitem voos para grávidas até 27 semanas sem nenhuma documentação prévia. O período entre 28 e 36 semanas é um pouco mais delicado. Embora a viagem não seja restrita, há risco de parto prematuro nessa altura do campeonato. Nada impede a compra das passagens, mas no embarque é possível que haja questionamentos, além da exigência de documentação ou até mesmo a presença do médico responsável.

As grávidas devem evitar viagens em aviões que não tenham cabines pressurizadas. Esse modelos de aeronave é bem pequeno e geralmente é utilizado em viagens curtas.

Antes de viajar, certifique-se de que tudo está em dia com o/a bebê, tenha a autorização médica (independente do número de semanas) e confira detalhadamente as exigências da companhia aérea escolhida.

Colaborou: BLOG QUANTO CUSTA VIAJAR

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE