Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Economia
Apenados iniciam oficina de trabalho em empresas privadas de Erechim
70 presos começaram a produzir calçados, luvas e EPIs. Além de 75% do salário mínimo, os serviços prestados revertem em remição da pena para os custodiados.
Secom/Piratini
por  Secom/Piratini
10/01/2020 16:00 – atualizado há 6 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Os apenados trabalhadores do Presídio Estadual de Erechim deram início ao processo fabril de peças de roupas e equipamentos de proteção individual (EPI), nesta sexta-feira (10/1). Para realizar as atividades, um termo de cooperação foi firmado entre a Susepe e as empresas Couroarte e Ereluvas.

Pela Couroarte, 45 detentos são responsáveis pela fabricação de calçados e EPIs. Na Ereluvas, são 25 presos, que produzem luvas e EPIs. Todos os produtos são vendidos pelas empresas no comércio geral. Pela produção, os presos podem receber até 75% do salário mínimo. Além disso, os serviços prestados revertem em remição da pena para os custodiados.

"Continuo defendendo o trabalho prisional como um meio de socialização do preso, pois isso pode ser um meio de afastá-los do crime e de, assim, ganharem seu próprio sustento, licitamente, com o que aprenderam nos workshops prisionais", destacou a administradora da casa prisional, Angélica Milkiewicz.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE