Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Saúde
Conheça mais sobre protetor solar e tire suas dúvidas sobre os tipos e como usar
Proteger a pele dos raios solares deve ser uma preocupação diária, não somente nos dias de sol.
NSCTotal
por  NSCTotal
27/12/2019 09:48 – atualizado há 1 mês
Continua depois da publicidadePublicidade

Proteger a pele dos raios solares deve ser uma preocupação diária, não somente nos dias de sol. O uso de protetor ajuda a prevenir o envelhecimento precoce, evita manchas e até mesmo o câncer de pele. A esteticista e colunista da Revista Versar, Lidiane Amaral, explica que existem filtros químicos, que absorvem os raios UV, e os físicos, que refletem os raios UV.

— Existem dois tipos de raios ultravioletas. Os raios UVA são responsáveis pelo bronzeado, manchas e rugas, e os raios UVB pela vermelhidão, além de aumentar o risco de câncer de pele. Um filtro solar de amplo espectro vai proteger a sua pele dos dois tipos de radiação e essa é a melhor opção na hora de escolher o seu protetor solar — destaca a profissional.

Pixabay

Segundo a especialista, é comum encontrar filtros químicos e físicos associados, para se obter um Fator de Proteção Solar, FPS, mais alto. O fator mínimo recomendado para uma proteção adequada é o FPS 15.

— O filtro solar deve proteger a pele evitando o dano causado pela radiação solar. Se o filtro que você utiliza permite que sua pele fique vermelha após a exposição ao sol, isto é sinal de que a proteção não está sendo eficaz. Neste caso, você deve aumentar o FPS ou então reaplicar o filtro solar com um intervalo menor. A recomendação é reaplicá-lo a cada duas horas ou após sair da água ou transpirar muito.

Lidiane ainda acrescenta que ele deve ser aplicado de forma generosa sempre de 20 a 30 minutos antes de se expor ao sol. Para entender melhor que tipo de protetor solar é indicado para cada tipo de pele, a esteticista separou algumas dicas.

— A indústria dermocosmética não para de inovar, atualmente existem diversas opções de filtro solar no mercado — destaca.

Hipoalergênico
: utiliza substâncias que geralmente não provocam alergias. Geralmente são filtros "PABA Free", ou livres de PABA.

"Oil free" e não comedogênicos
: filtros cujos veículos não contém substâncias oleosas. São os mais indicados para pessoas de pele oleosa ou com tendência à formação de cravos e espinhas.

Aerogel
: controlam a oleosidade e minimizam o efeito dos poros abertos e imperfeições.

Mineral
: contém somente filtros físicos (dióxido de titânio ou óxido de zinco). São indicados para pessoas com pele sensível, alérgicas e podem ser usados como proteção extra para quem sofre de melasma.

Serum
: Textura líquida com rápida absorção.

Mousse:
Toque aveludado, com efeito primer (minimiza pequenas imperfeições da pele)

Proteção em dias nublados

O especialista em inovação para produtos cosméticos, Vinicius Bim, reforçar a importância do uso do protetor inclusive em dias nublados e locais fechados.

— Mais de 80% da radiação ultravioleta (UVA) atravessa as nuvens. Portanto é necessário utilizar protetor solar mesmo em dias nublados, para proteger especialmente desse tipo de radiação que penetra mais profundamente na pele, causando o fotoenvelhecimento. Vale ressaltar que o uso do fotoprotetor é importante mesmo dentro de ambientes fechados. Nesses locais estamos expostos, além dos raios UVA que atravessam os vidros das janelas e continuam agindo sobre nossa pele, também a fontes artificiais de luz que, emitem outras radiações, como luz visível, que contribuem para o fotoenvelhecimento.

Protetor solar em crianças

Um estudo publicado em setembro de 2018, no periódico científico Journal of the American Medical Association Dermatology apontou que o uso de protetor solar infantil reduz em até 40% os riscos de câncer de pele na idade adulta. Foi identificada a relação direta entre o uso do protetor e a diminuição no risco de desenvolver o melanoma.

Vale lembrar que as indicações médicas para exposição solar para crianças com menos de seis meses são: dar preferência aos horários em que o sol não esteja forte e não usar produto algum, pois a pele dos bebês é sensível e acaba absorvendo os cremes. Dos seis meses aos dois anos, recomenda-se uso de filtros físicos – aqueles que agem como uma barreira, apenas refletindo os raios. Geralmente, eles têm a indicação “baby” no rótulo. Entre dois e 12 anos, pode-se aplicar os filtros infantis, normalmente uma mistura do físico e do químico.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE