Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Operação desarticula rede de tráfico de drogas sintéticas que atuava entre SC e o DF
Quatro mandados de prisão e 8 de busca e apreensão foram cumpridos em cidades catarinenses
NSCTotal
por  NSCTotal
11/02/2020 16:03 – atualizado há 14 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

Suspeitos de liderarem uma rede de tráfico interestadual de drogas sintéticas que atuava entre Santa Catarina e o Distrito Federal foram alvo de operação deflagrada pela Polícia Civil do DF e pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) de SC nesta terça-feira (11).

Drogas sintéticas apreendidas durante a operação desta terça(Foto: Polícia Civil DF / Divulgação)

No total, foram expedidos 12 mandados de prisão e 17 de busca e apreensão em Goiás, Distrito Federal e Santa Catarina. Quatro dos mandados de prisão e 8 das buscas foram em SC. Quatro cidades do Estado tiveram alvos na operação, batizada de Poseidon: Itapema, Balneário Camboriú, Antônio Carlos e São João Batista. Três pessoas foram presas em Itapema e uma em Balneário Camboriú.

Conforme as investigações, os alvos mantinham laboratórios de drogas sintéticas como ecstasy e LSD nessas regiões. A operação é fruto de uma investigação que começou em 2019, quando a Polícia Civil do DF desarticulou um grupo de traficantes em Brasília. A polícia descobriu que os fornecedores desse grupo eram de Santa Catarina, mais especificamente de Itapema. Eles produziam as drogas em laboratórios e transportavam até o DF em fundos falsos de caminhões e ônibus. 

Delegado Luis Felipe Fuentes, diretor da Deic, e o delegado Ulysses Luz, do DF, em entrevista nesta terça(Foto: Guilherme Simon, Diário Catarinense)

Segundo o delegado Ulysses Fernandes Luz, coordenador especial de repressão à corrupção e ao crime organizado da Polícia Civil do DF, o grupo que atuava em Santa Catarina abastecia o tráfico do Distrito Federal com cerca de 30 mil comprimidos de ecstasy por mês. Eles também faziam a distribuição de drogas sintéticas e de outras drogas, como cocaína e maconha, em outros estados como Rio Grande do Sul e Goiás, além de cidades catarinenses.

Segundo a Polícia Civil do DF, a operação identificou também imóveis em cidades do litoral de Santa Catarina que foram adquiridos com dinheiro do tráfico, e alguns deles são avaliados em mais de R$ 1 milhão. A Justiça determinou o bloqueio de três imóveis em Itapema, duas casas e um prédio, além de contas bancárias dos envolvidos e de pessoas próximas a eles.

Durante a operação em SC a polícia também apreendeu uma escopeta calibre 12, uma pistola 380, munições e R$ 18 mil em espécie. As armas foram apreendidas em Itapema.

A Polícia Civil informou ainda que, em janeiro deste ano, o líder do grupo, morador de Itapema, foi preso pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) durante uma operação de rotina em Lageado, no Rio Grande do Sul. Ele transportava aproximadamente 210 kg de cocaína, e continua preso no estado gaúcho. A mulher dele foi uma das pessoas presas em Itapema na operação desta terça-feira.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE