Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Segurança
Polícia apreende armas de homem que matou casal e filho em acidente de trânsito
O armamento foi localizado na residência e estabelecimento da família do suspeito. A mãe dele estava presente no momento dos disparos.
CP
por  CP
27/01/2020 15:14 – atualizado há 22 dias
Continua depois da publicidadePublicidade

O titular da 4ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa (4ªDPHPP), Rodrigo Pohlmann Garcia, informou à reportagem do Correio do Povo na manhã desta segunda-feira, a apreensão de uma pistola calibre 380 e de um revólver calibre 38 durante as diligências para esclarecer o caso da morte de um casal e do filho durante discussão após acidente de trânsito, na região Extremo Sul de Porto Alegre. O armamento foi localizado na residência e estabelecimento da família do suspeito. A mãe dele estava presente no momento dos disparos.

A primeira arma está em nome da mãe do autor do crime, um jovem de 24 anos. Ainda não se sabe em nome de quem está o revólver. Um terceiro artefato de fogo, utilizado no assassinato, uma pistola calibre 9 milímetros, no entanto, ainda não foi encontrada. Com prisão temporária decretada, o autor dos disparos está foragido. Ele e a mãe permanecem em local ignorado. O paradeiro da FordEcoSport também é desconhecido apesar das diligências dos agentes da 4ª DPHPP.

Encarregado do inquérito, o delegado avaliou como desproporcional o desfecho do acidente de trânsito. “É um ato que acontece a partir de uma briga de trânsito. Imagina quantos acidentes de trânsito ocorrem por dia, uns com pequena monta e outros com grande monta...imagina se todo mundo andasse armado e, desatinado, atira?”, questionou na manhã desta segunda-feira em seu gabinete. “Chama a atenção a desproporcionalidade e agressividade”, enfatizou.

Pohlmann destacou ainda que os tiros disparados pelo autor foram mirados na direção do casal Rafael Zanetti Silva, 45 anos, e Fabiana da Silveira Innocente Silva, 44 anos, e do filho Gabriel da Silveira Innocente Silva, 20 anos. “Primeiro ele efetua disparos no homem, depois na esposa e depois no filho. Os disparos não foram a esmo. Ele direcionou e executou com quem estava discutindo...”, observou, destacando que as vítimas foram atingidas na cabeça e pescoço.

A precisão, avaliou, demonstra que o autor teve treinamento. Nenhuma arma e nenhum porte ou posse, porém, estão registrados no nome do jovem. De acordo com o diretor da Divisão de Inteligência e Análise Criminal do Departamento de Homicídios de Proteção à Pessoa, delegado Eibert Moreira Neto, existe uma informação preliminar de que o autor do crime seja ex-militar. “Só temos que confirmar isso na investigação de seguimento”, adiantou.

As vítimas estavam no Citroën Aircross que atingiu a lateral de um Ford EcoSport, de propriedade do autor do crime e que encontrava-se estacionada na Estrada do Varejão. “A vítima fatal [pai] sentiu que a situação estava ruim e seguiu viagem [após a colisão]. Ele notou que estava sendo perseguido e parou em um local onde havia residências. O casal desceu e o autor do crime desceu com a mãe. Ao que tudo indica, a mãe do agressor também estava alterada. Pelo relato que chegou, o autor puxou uma pistola calibre 9 milímetros e nesse momento, é que a mãe tenta afastá-lo, mas ele consegue se desvencilhar e segue na direção das vítimas”, relatou.

Na manhã de hoje, o delegado Eibert Moreira Neto confirmou que o autor teve a prisão temporária decretada pela Justiça. As primeiras informações apontam que a família seria ligada ao comércio. Para o delegado Rodrigo Pohlmann Garcia, a identificação do autor do crime é “clara e inequívoca”.

O indiciamento deverá ser concluído em homicídio qualificado cometido por motivo fútil e emprego de meio que dificultou a defesa da vítima. A situação da arma poderá agravar a situação se for de origem ilícita. “Esperamos que a família do autor do crime coloque na cabeça e venha conversar…”, afirmou. “Ele tem que responder por isso”, resumiu Pohlmann, acrescentando que todos os telefones deles estão desligados, redes sociais foram apagadas. A residência o estabelecimento comercial estão fechados.

Outro filho do casal assassinado, de oito anos, permaneceu dentro do veículo e assistiu aos pais e irmão sendo executados a tiros. A família retornava de uma festa de aniversário em um sítio no bairro Cantagalo.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE