Receba as notícias mais importantes do dia no WhatsApp. Receba de graça as notícias mais importantes do dia no seu WhatsApp.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Agro
1º SEMINÁRIO REGIONAL DE PSICULTURA | Produtores de peixe recebem orientações em evento
Mais de cem produtores do Alto Uruguai participaram do evento em Getúlio Vargas
Redação
por  Redação
23/08/2019 15:57 – atualizado há 2 meses
Continua depois da publicidadePublicidade

Mais de cem produtores, além de extensionistas rurais e sociais da Emater/RS-Ascar da região do Alto Uruguai participaram do 1º Seminário Regional de Piscicultura, sediado em Getúlio Vargas, nesta quinta-feira (22/08), na comunidade Santa Lúcia. O evento, promovido pela Emater/RS-Ascar e Prefeitura de Getúlio Vargas, com apoio do Sicredi, da Agroindustrial Mig-Plus e da Agrocomercial De Martini, visa incentivar e capacitar produtores na criação e comercialização de pescados. Nesse sentido, foram ministradas palestras técnicas e visita à propriedade da família Noskoski, com três estações com orientações práticas e relato das atividades da propriedade. 

Foram ministradas  palestras técnicas pelos engenheiros agrônomos e extensionistas rurais do Escritório Central da Emater/RS-Ascar, Henrique Bartels, e do Regional de Frederico Westphalen, Carlos Roberto Olzevski.

O engenheiro palestrou sobre criação de tilápias em viveiros ou tanques escavados no Rio Grande do Sul, método de criação mais utilizado pelos produtores. Ele destacou várias recomendações técnicas de produção e manejo de tilápias, como adubação e qualidade da água, alimentação nutricional dos peixes e dimensionamento dos tanques. Entre os cuidados, recomentou a utilização do aerador, que poderá evitar a mortandade de tilápias.

Na avaliação de Carlos Roberto Olzevski, é importante que a cadeia produtiva esteja organizada. Existem tecnologias disponíveis e os produtores devem adotá-las, para que resultem em produção de alta qualidade e garantam a viabilidade econômica da atividade. Também chamou atenção para a capacitação. “É muito importante a profissionalização do produtor para obter resultados da área. É importante que o piscicultor se organize em associação ou construção de frigoríficos locais para comercializar a produção”, disse.

Já Henrique Bartels apresentou requisitos fundamentais para a criação de peixes, como qualidade e temperatura ideal da água para piscicultura, enfocando as diferenças de criação entre açudes e viveiros e questões ambientais do viveiro.

As orientações foram reforças durante a visita à propriedade do produtor Floriano Noskoski, com a realização de três estações. No local, o produtor Floriano e seu filho Lindomar relataram experiência com a atividade. Nas outras duas estações, Bartels e Olzevski reforçaram as orientações com ações práticas de verificação da qualidade e temperatura da água, adubação, entre outras necessidades de infraestrutura para a criação de peixes.

Em seis hectares da propriedade foram instalados oito açudes para piscicultura. A produção de 12 a 15 toneladas por ano de peixe é comercializada em Santa Catarina. A base da alimentação é feita de pastagens de verão e de inverno. No local, Lindomar fez uma demonstração de filetagem de peixe. A família cultiva ainda lavouras de grãos. A propriedade já funcionou como pesque e pague. 

Assessoria/Emater

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE